3 Desafios dos empreendedores de impacto no país

Renniê Paro | 2 min read

*Por Gabriel Arcon

Os chamados “negócios/empreendimentos de impacto” são, em linhas gerais, aqueles que têm por premissa promover a cidadania e resolver algum problema de cunho social ambiental. Em um país com dimensões continentais, como é o nosso caso, esse desafio é ainda maior, devido às particularidades de cada região.

Felizmente, apesar dos entraves, vemos crescer o número de iniciativas nesse sentido. Segundo um levantamento do Sebrae, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em 2018 havia cerca de 800 negócios de impacto social no Brasil, boa parte deles sendo liderados por startups. Tais projetos movimentam cerca de US$ 60 bilhões, em todo o mundo, de acordo com pesquisa da Ande Brasil (Aspen Network of Development Entrepreneurs), uma rede de empreendedores de países em desenvolvimento).

Assim como em outros segmentos, os empreendedores do mundo de impacto social e ambiental, enfrentam grandes desafios. Vamos conhecer melhor alguns:

  • Definição de um modelo de negócio: claro que a premissa é gerar valor para a sociedade, mas mesmo em casos com esse mote, é preciso estabelecer um modelo de negócios. Os sistemas B2B, onde startups de cunho ambiental geram serviços de coleta de resíduos para grandes companhias, por exemplo, têm crescido. Há também os fortes modelos de assinatura, onde o usuário paga uma ‘mensalidade’ e faz uso de suas bikes;
  • Falta de um marco legal específico: essa discussão é antiga e ainda vai durar alguns anos. Mas, como feito com bicicletas comuns e outros modais, é preciso estabelecer regras e regulamentações para a aplicação adequada de cada iniciativa de impacto em nosso país. Somente assim, conseguiremos garantir organização nas esferas públicas e privadas, e segurança para todos os envolvidos;
  • Forma de atração e captação de recursos: esse é sempre um momento delicado para qualquer empreendedor, afinal sabemos que chamar a atenção de um investidor não é fácil e a concorrência é grande. Portanto, estabeleça desde o início, quais são os valores e propósitos que você deseja entregar para à sociedade.

E você, empreendedor de impacto, que legado quer deixar para as futuras gerações?

*Gabriel Arcon é CEO da E-moving, startup de aluguel de bikes elétricas.

Share twitter/ facebook/ copy link