You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
5 dicas para CTOs se prepararem para as vendas online de final de ano

5 dicas para CTOs se prepararem para as vendas online de final de ano

Por Bernie Wong, especialista Customer Success da Blue Yonder

À medida que a alta temporada de vendas de final de ano do e-commerce se aproxima (Dia das Crianças, Black Friday e Natal), os varejistas online se preocupam com o impacto do aumento esperado no tráfego em suas plataformas de e-commerce e políticas de conformidade. E sem esquecer as mudanças nos hábitos de consumo por parte dos consumidores durante o Covid-19, muitos migraram de compras nas lojas para o e-commerce.

Cinco dicas para os CTOs do varejo para atenderem bem a alta demanda de final de ano:

1)      Gerenciar carga: Tenha cuidado com problemas de bloqueio, saturação ou estabilidade do sistema

Sua equipe deve resolver proativamente problemas de estabilidade ou saturação de recursos com antecedência, pois essas questões serão mais comuns e terão consequências mais desastrosas durante grandes volumes de transações. A tática usual de excluir automaticamente transações para resolver um crash ou reiniciar o aplicativo durante um acidente não funcionará em grandes volumes. A exclusão de transações pode causar problemas de perda de dados.

2)      Prepare-se com testes de desempenho reais

Embora seja altamente recomendável que os testes de desempenho sejam realizados em horários regulares para ver se o sistema suporta volumes e carga durante o pico de vendas. Muitas empresas realizam testes de desempenho que não simulam cargas de trabalho reais durante o pico. Isso pode fornecer uma visão excessivamente otimista ou às vezes excessivamente pessimista. Ambos os cenários têm consequências. É importante ter um parceiro de tecnologia com um domínio em gestão de pedidos e que tenha experiência para ajudar a configurar dados representativos para testes e fornecer um resultado muito eficaz e confiável.

3)      Abordar proativamente a potencial degradação causada pela integração com sistemas externos

As empresas de varejo exigem um Sistema de Gerenciamento de Pedidos (OMS) para organizar chamadas para outros sistemas e serviços, como uma verificação de fraude. Muitas vezes, uma falha ou lentidão em um sistema externo pode se tornar uma grande bola de neve que afeta os sistemas de conformidade. A menos que seu sistema seja projetado para ser monitorado e reagir a essas situações, corre-se o risco de enfrentar problemas catastróficos. Sugere-se que nos dias que antecedem a alta temporada, avalie cada ponto de integração e determine a maneira de lidar com possíveis problemas.

4)      Implementar recursos de monitoramento proativos para resolver problemas antes que ocorram

Durante um teste de desempenho, a equipe de gerenciamento de desempenho deve usar as mesmas ferramentas disponíveis na produção. Além disso, é imprescindível que a equipe possa monitorar o funcionamento do OMS, sem precisar de uma grande equipe de funcionários.

5)      Realizar avaliações abrangentes que incluem testes do Chaos Monkey

Sugerimos fazer um teste e obter resultados. Modifique um pouco o teste de desempenho e reprise-o até obter resultados aceitáveis para atender ao acesso à aprovação/falha. Não só é suficiente para o sistema ser rápido, deve-se garantir que o sistema esteja correto sob carga.

A maioria dos clientes não verifica a qualidade do sistema, após um teste de carga de desempenho. Em muitos casos, os testes têm altos percentuais de transações ou atualizações incompletas, errôneas ou piores. Recomendamos que se realize testes de desempenho que incluam controles funcionais em avaliações de carga de desempenho, cuja detecção de problemas mitiga riscos subsequentes que se manifestariam no momento mais inoportuno.

Top stories in your inbox!