You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

A importância da Cultura Organizacional para a Transformação Digital

Por Sandra Maura, CEO da TOPMIND

A Transformação Digital é uma realidade. Mais do que isso, a tecnologia já é um fator imprescindível para os negócios, acelerando e alterando completamente as atividades de empresas de todos os segmentos. Graças à crescente atividade virtual e ao aumento exponencial do uso dos dados, por exemplo, estamos acompanhando um novo ciclo de modernização e desenvolvimento, com o surgimento de novos caminhos para que as organizações possam garantir mais eficiência e melhores experiências a seus clientes.

Mas o que, de fato, marcaria uma jornada digital bem sucedida? Evidentemente, o primeiro passo é contar com as mais avançadas soluções de tecnologia e uma boa dose de inovação. Afinal de contas, é a busca pela transformação que move a indústria rumo a avanços como o 5G, a Internet das Coisas (IoT – do inglês Internet of Things) e a Inteligência Artificial, em uma abordagem XaaS (do inglês Everything as a Service).

Não por acaso, pesquisas globais indicam que, na maior parte das organizações, a “responsabilidade” pela Transformação Digital ainda está exclusivamente dedicada à área de TI. Segundo o Gartner, 77% dos líderes empresariais consideram que as prioridades das iniciativas de Transformação Digital dependem muito da área de Tecnologia.

A Transformação Digital, porém, também precisa de uma cultura que permita o uso inteligente e completo dessas soluções. Para que as empresas possam extrair o máximo proveito de seus investimentos, em TI inclusive, elas precisam contar com talentos engajados e uma cultura organizacional que incentive o desenvolvimento.

Nesse cenário, é preciso destacar que os colaboradores de uma empresa é que são a base da cultura organizacional – sem as pessoas, nenhuma transformação irá acontecer e nenhum sistema terá resultado. Considere, por exemplo, uma empresa que comercializa produtos fabricados com alta tecnologia. O atendimento prestado aos clientes nas unidades ou no ambiente virtual precisa oferecer uma experiência positiva inesquecível ou de nada terá adiantado o investimento em TI.

Vale destacar que as empresas que conseguem resultados melhores em suas jornadas de Transformação Digital são aquelas que possuem uma cultura voltada para o aprendizado contínuo, a colaboração e a tolerância a erros. A tecnologia, nesse sentido, deve ser o facilitador para a criação de um campo de trabalho criativo, com as condições certas para que as pessoas possam inovar e contribuir. Paralelo a isso, claro, é importante que os colaboradores tenham certeza de que serão ouvidos e que suas opiniões serão realmente avaliadas e consideradas.

O fato é que não existe uma receita pronta que indique como superar as resistências internas e engajar todas as áreas da empresa no objetivo comum da Transformação Digital. Cada negócio tem suas próprias características. Todavia, investir em inteligência e serviços que simplifiquem o dia a dia e reforcem o foco das pessoas em atividades estratégicas é algo a ser fundamentalmente considerado. O uso da tecnologia, portanto, não é apenas uma opção para produzir mais: elas também podem ajudar as empresas a descobrirem o caminho para a mudança organizacional mais alinhada à sua estratégia de negócios.

A Transformação Digital começa com os CIOs e com os líderes de Tecnologia da Informação (TI). Eles devem tomar o papel de impulsionadores da implementação dos novos recursos. Mas para uma nova cultura organizacional, porém, é preciso estimular a participação de todos - direcionando o mindset de inovação como um fator único e pertencente a todas as pessoas da companhia.

Ao tratar a mudança de cultura como um projeto de inovação, os líderes certamente ganharão uma nova perspectiva – com opiniões e insights que serão benéficos para aprimorar o negócio como um todo. Isso porque o engajamento com o projeto de transformação de cultura é essencial – assim como ganhar a atenção do cliente é chave para tornar um produto bem recebido no mercado.

As empresas devem sempre considerar que a mudança de cultura, assim como a Transformação Digital, não acontece da noite para o dia, e nem é um projeto de começo, meio e fim. Trata-se de um processo contínuo e que, inclusive, deve estar sempre em constante aprimoramento para atender aos objetivos estratégicos – especialmente em um cenário volátil como o atual, que pode ser alterado rapidamente de maneira drástica, como vimos com a pandemia de COVID-19.

É importante que as empresas dediquem atenção especial para a cultura organizacional, construída pelas pessoas – e para isso, sim, elas podem usar a tecnologia e a inovação. O propósito das companhias precisa estar vivo nas ações de cada funcionário, sem distinção. Sem isso, nenhum planejamento ou tecnologia conseguirão ser eficazes. Como disse Peter Drucker, a cultura come estratégia no café da manhã. E a sua empresa, já está preparada para essa jornada de mudança?

Top stories in your inbox!