You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
As 5 tendências de 2020 no e-commerce. Você conhece alguma delas?

As 5 tendências de 2020 no e-commerce. Você conhece alguma delas?

Se você é empreendedor, gestor ou até mesmo curioso sobre o assunto, já deve ter ouvido falar do famoso comércio eletrônico, mais conhecido como e-commerce. Durante a pandemia e a crise causada por ela, vimos uma grande onda de transformação em empresas tradicionais, que antes não vendiam através de plataformas digitais. Uma pesquisa do e-commerce Brasil, feita em junho de 2020, mostra que o comércio eletrônico mundial teve aumento em 81% nas vendas de maio comparado com o mesmo período do ano passado. Mas a questão é, você já se perguntou o que pode vir a acontecer com as empresas que não forem para a plataforma digital?

Mais do que um termo que se refere à comercialização de produtos e serviços pela internet, em que as transações acontecem via dispositivos eletrônicos, o e-commerce faz parte de uma cultura digital, característica essencial para as empresas principalmente neste período de pandemia. O e-commerce se tornou uma tábua de salvação para muitas empresas. E aquelas que não estavam na plataforma digital, precisaram se reestruturar de uma forma ágil.

“No início da pandemia as empresas agiram por desespero, fizeram um MVP (Mínimo Produto Viável) para vender de forma online. Quem se saiu melhor durante a pandemia é quem já tinha uma cultura digital”, explica Patrick Scripilliti - Diretor de Vendas e Novos Negócios da VTEX e Co-Fundador da Fundamentos Digitais.

Retomando a pergunta do que pode vir a acontecer com as empresas que não forem para a plataforma digital, Patrick explica que, com exceções, as empresas que não tiverem uma base forte digital vão perder diferencial competitivo. E em alguns cenários isso pode levá-las à falência. Estar antenado à inovação e tecnologia, não ficando estagnado no mercado, é algo fundamental para que isso não venha a acontecer com as empresas. Portanto, para aquelas empresas que ainda não possuem uma plataforma e cultura digital, a VTEX é uma plataforma de Cloud Commerce que unifica a experiência do cliente em todos os canais em uma solução corporativa abrangente. A plataforma já possui contratos com grandes empresas como: Motorola, Sony, Samsung, Ri Happy Brinquedos, Avon, Mcdonald's e muitas outras. Cada empresa consegue manter a sua identidade visual mesmo em uma plataforma única.

Tendo em vista a importância de as empresas terem uma comercialização através da internet, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte, trouxemos as cinco principais tendências do e-commerce:

  1. Omnichannel: Tem como objetivo estreitar a relação entre o mundo online com o presencial, aprimorando a experiência do cliente. Algo que exemplifica bem este conceito é quando você está na loja física e utiliza o aplicativo da marca para verificar a existência do produto que deseja na loja. Caso encontre o item, você encomenda com o funcionário da loja física e pode optar por receber o produto em sua casa. Os canais conversam entre si, oferecendo uma experiência de compra cada vez melhor para os clientes. Para as empresas, o conceito mostra que é possível otimizar o estoque de toda rede para vender direto para o cliente final, localizando onde o cliente está para atender com o estoque que está mais próximo, fazendo com que o processo seja mais rápido e barato. O omnichannel é uma tendência que está em ebulição no momento. Quem não aderiu, logo mais irá repensar sobre isso.
  2. Vendas por live streaming: Essa é uma tendência que vem ganhando cada vez mais força no mercado. Por estar se tornando mais natural as videoconferências - até os aniversários estão acontecendo de forma online -, muitas empresas passam a vender seus produtos através de lives streaming. Na China já é algo recorrente e empresas como Alibaba fazem isso muito bem.
  3. Mudança nas relações de trabalho: Essa é mais uma tendência que veio para ficar depois da pandemia. Nesse período nos perguntamos: O que é mais valioso, a entrega do trabalho ou quanto tempo a pessoa ficou fazendo-o? Com muitas pessoas trabalhando de suas próprias casas, fica complicado para a empresa medir quanto tempo, de fato, a pessoa trabalhou. Mas, se ela cumpriu com o serviço no final do expediente, em quanto tempo ela fez não importa. Dessa forma, a mentalidade e cultura de grandes empresas começam a mudar, transformando as relações de trabalho e a otimização de tempo.
  4. Cooperação entre as empresas: O uso do caixa da empresa ficará cada vez mais restrito e com isso surgem novas oportunidades de parcerias entre as instituições. Por exemplo, uma empresa de vestuário quer lançar  produtos de beleza, portanto ao invés de começar a fabricar esses produtos, pode simplesmente cooperar com uma empresa que já vende no setor. Unificando assim, as duas marcas parceiras. Duas marcas vendendo produtos em uma mesma plataforma faz parte de uma cooperação, que é uma das tendências que surgem com o e-commerce.
  5. Marketplace: É uma plataforma que conecta a oferta e a demanda de produtos e serviços, reunindo todos os prestadores e vendedores de serviço em um único ambiente. É possível relacionar o Marketplace com as cooperações entre as empresas, haja vista que, ao se unirem, as empresas se tornam um marketplace.

Patrick ressaltou a importância de que não adianta a empresa ter apenas o e-commerce, ela precisa se estruturar, treinar seus funcionários e criar uma cultura digital interna. Apesar de não ser tarefa fácil, temos que analisar o e-commerce como um facilitador e potencializador das vendas, que auxilia no crescimento das empresas.

O entrevistado deu algumas dicas para aqueles que querem investir em e-commerce sem ter experiências prévias. A primeira delas é ler e buscar conhecimento sempre, o mercado é dinâmico e precisamos estar atento à ele. Aplique os conceitos de metodologias ágeis, teste rápido e não tenha medo de errar. É importante também entender os conceitos e não replicar a “receita do bolo”. Lembre-se que cada cenário exigirá uma condição.

Sugestão de livros sobre o assunto:

Ao final da entrevista, recebemos algumas dicas de leitura e vamos compartilhar com você, leitor, que quer se aprofundar sobre o assunto!

  • “A loja de tudo - Jeff Bezos e a Era da Amazon”, de Brad Stone;
  • “Alibaba - Estratégia de Sucesso”, de Ming Zeng;
  • “Satisfação Garantida - Aprenda a fazer da felicidade um bom negócio”, de Tony Hsieh.

Top stories in your inbox!