Badoo divulga ações que ajudarão a amenizar preocupações de quem está em busca de um encontro

a month ago

Com a popularização dos aplicativos de relacionamento, algumas regras do jogo mudaram. Problemas como ansiedade, insegurança e baixa autoestima podem afetar quem os usa em busca de um encontro. Por isso, o Badoo, que alcançou 449 milhões de usuários, realizou uma pesquisa que revela que um, a cada cinco usuários brasileiros, já estão preocupados com sua saúde mental na hora de procurar um ‘date’ no aplicativo.

O estudo foi realizado com 6 mil usuários do aplicativo no Brasil e mostra que a preocupação com a saúde mental impacta os dois gêneros, atingindo 17% das mulheres e 16% dos homens.

Para Martha Agricola, diretora de marketing do Badoo, ter ciência desses dados é importante para que se criem ações que deixem os usuários mais seguros e confiantes de usar o aplicativo para conhecer novas pessoas. “Queremos que as pessoas se sintam mais seguras e confiantes, para tornar a busca por um encontros mais leve e descontraída”, explica.

Por exemplo, de acordo com a pesquisa, as maiores preocupações das mulheres é o de serem mal tratadas e julgadas (48%), enquanto os homens têm preocupações mais internas, como medo de rejeição (26%) e a ansiedade que antecede o primeiro encontro (38%).

Infográfico divulgado pela rede social mostra as maiores ansiedades da paquera online

Sabendo disso, o Badoo está criando conteúdos e políticas que farão os usuários se sentirem menos inseguros com essas questões na hora de procurar um date através do aplicativo.

No YouTube, a rede social apresenta uma série de vídeos e podcasts que irão debater, junto da psicóloga Amanda Fitas e das Criadoras de Conteúdo Alexandra Gurgel e Karol Queiroz diversos temas com dicas para aprender a lidar com o ex-namorado, a trabalhar melhor a aceitação de corpo, a autoestima e também como iniciar uma conversa, por exemplo.

Mudanças significativas acontecem dentro do aplicativo também, como por exemplo, o Card, lançado em 12 de Outubro, em sua área de “Encontros” com a tag #PegueLeve abordando temas como rejeição, autoimagem, fotos indesejadas, trolling e até mesmo catfishing.

“A ideia é ajudar as pessoas a terem mais confiança e a saber como buscar ajuda ao enfrentar alguns destes problemas. Sabemos que as redes sociais podem ser muito tóxicas e, justamente para ajudar a identificar essas situações, desenvolvemos este conteúdo”, finaliza Martha.

Lucas Nascimento

Published a month ago