Sobre Newsletter Torne-se um polinizador Mural de vagas Eventos Politalks Polissocial
Sign-in
/ Coworking

Bradesco quer reunir 200 startups no InovaBra Habitat

  • Felipe Mendes

    Felipe Mendes

    Felipe is our journalist at Polinize. We are committed to helping all stakeholders understand why, when and how technology can - and cannot- support better them.

    More posts by Felipe Mendes.
    Felipe Mendes

Até o final de abril, o Bradesco espera reunir cerca de 200 startups em seu recém-inaugurado InovaBra Habitat.

O espaço, que fica na região da Avenida Paulista, em São Paulo, foi oficialmente inaugurado em fevereiro, com a maior parte das estruturas já concluídas e profissionais de aproximadamente 100 startups já trabalhando no prédio, que conta ainda com representantes de empresas como Oracle, IBM e Microsoft.

O espaço é dedicado à geração de negócios em áreas como blockchain, big data e algoritmos, internet das coisas, inteligência artificial, open API e plataformas digitais. Para facilitar o desenvolvimento das atividades há uma sala para ideação, espaço para criação de conteúdos, uma área de convivência com supermercado, farmácia, café premium e agência do Bradesco.

Gerenciado pela WeWork, o InovaBra Habitat tem 22 mil m² de área, distribuídos em 10 andares - além de um espaço para eventos no rooftop. Além dos representantes de startups e grandes empresas, o prédio conta com habitantes que representam universidades, investidores e os principais parceiros tecnológicos do Bradesco.

"Este é um espaço aberto para que as startups se candidatem a vir, mas nós temos um processo de curadoria. Buscamos startups mais maduras, não estamos buscando empreendedores na fase de incubação, por uma razão principal: na outra ponta estão empresas geradoras de demanda e consumidoras dos serviços dessas startups. Como a demanda é unir as duas pontas, optamos por essa estratégia", explica o vice-presidente de tecnologia do banco, Maurício Minas.

O Bradesco não revela o valor gasto na construção do edifício. O custo por cada posição de trabalho varia de acordo com o perfil da empresa alocada. Cada startup paga R$ 700 por mês. As grandes empresas alocadas têm custo mensal de R$ 2.600 por profissional. E, para as fornecedoras de tecnologia, o custo é de R$ 3.200 por posição ao mês.

“É um presente para o Brasil, um presente para São Paulo. Este lugar [região da Avenida Paulista] está na linha de frente dos melhores centros de inovação do mundo. Este projeto mudou o apetite da empresa do Brasil. Tivemos que adaptar todos nossos modelos de negócio e conseguimos trazer tudo o que sabemos fazer de melhor, e isso foi fundamental para a empresa ter mais apetite para investir mais no Brasil”, afirma Lucas Mendes, diretor geral da WeWork no Brasil.

"Criamos um ecossistema de maneira que consigamos inovar como se inova, e não fazer no modelo tradicional. O mercado de hoje é totalmente diferente do que estávamos acostumados", complementa Maurício Minas.

Felipe Mendes

Felipe Mendes

Felipe is our journalist at Polinize. We are committed to helping all stakeholders understand why, when and how technology can - and cannot- support better them.

Read More
Bradesco quer reunir 200 startups no InovaBra Habitat
Share article