CamilotaXP é a única mulher finalista do Prêmio eSports Brasil

Aos 24 anos, a carioca Camila Silveira – mais conhecida como “CamilotaXP” – já atingiu um grande feito no universo dos games. Atriz e apresentadora, ingressou para o mundo profissional de esports em fevereiro de 2017 ao apresentar um campeonato de LoL na PromoArena. Atualmente trabalha como talento na holding de entretenimento BBL (Bad Boy Leeroy), apresenta a Superliga ABCDE e a LA League de PUBG. Camila também é a única mulher concorrendo no Prêmio eSports Brasil – que conta com 11 categorias técnicas e quatro populares – pela categoria Personalidade do Ano.

Gamer desde os nove anos, Camila explica que não tinha o Nintendo 64 em casa, mas sempre pegava emprestado com uma amiga de infância. “Era um super esquema! Sempre o que o irmão dela viajava, eu levava os jogos para casa e depois tinha que devolver correndo, caso ele decidisse voltar mais cedo – já que ele não sabia que ela me emprestava”, confessa.

Para Camila, o momento decisivo como host de esports foi durante a CCXP de 2017. “A primeira vez que subi no palco foi muito marcante para minha carreira. Ali eu decidi investir mais nos esports. Decidi que era aquilo que eu queria e que isso não seria minha segunda opção. E, desde então, tenho me dedicado 100% ao esports”, revela.

Embora a Pesquisa Game Brasil (PGB) de 2018, pelo terceiro ano consecutivo, tenha revelado que as mulheres são maioria entre os jogadores brasileiros (58,9%), a apresentadora teve que quebrar algumas barreiras no início da carreira. “Enfreitei muita dificuldade por ser mulher, principalmente no começo. As pessoas me julgavam muito, mas isso não me afetava de certa forma. O narrador Gruntar tem um método de lidar com haters que eu peguei para mim também. Basicamente, de tudo o que os haters dizem, a gente pega só o que interessa e o que a gente consegue transformar de forma positiva para o nosso trabalho”, explica.

Referência para as mulheres no mercado de esportes eletrônicos, Camila espera que muitas outras tenham sucesso no segmento.

“Não sou a única referência de esports. Tem muitas mulheres já no meio e juntas conseguimos dar força para essa galera que está querendo vir. Tenho me posicionado mais nesse quesito porque tenho total consciência que tem muitas pessoas que se inspiram em mim para entrar na carreira de esports. Por isso, só venha, mulherada! Tem muito espaço no mercado, mais ainda para nós mulheres”, complementa.

Camila já comandou o palco do Rainbow 6 na GameXP de 2018 e fez uma passagem pela Riot, onde apresentou o Circuito Desafiante 2018. Anteriormente, também foi apresentadora dos campeonatos de League Of Legends e Overwatch para a PromoArena TV e host da CCXP no palco The Enemy Game Arena.

Sing Comunicação

Published a year ago