You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
Clube de Autores publica 23% de todos os livros nacionais

Clube de Autores publica 23% de todos os livros nacionais

No Dia Nacional do Livro, POLINIZE apresenta o Clube de Autores, maior plataforma de autopublicação de livros da América Latina, que celebra em 2019 seus primeiros 10 anos de existência.

Durante sua trajetória, a empresa vem apostando em um modelo disruptivo e bem-sucedido no mercado livreiro nacional e se apresenta em constante crescimento representando 23% de todos os livros publicados da cadeia nacional no último ano.

Ao longo dos últimos 10 anos, o Clube de Autores inovou ao implantar o modelo de self-publishing no Brasil, sendo a primeira plataforma brasileira de print-on-demand (POD) a oferecer venda direta e distribuição. A plataforma já conta com mais de 70 mil livros publicados, e ganha 40 novas obras todos os dias, contabilizando um crescimento de 50% no faturamento até final de 2019, mesmo com o setor em crise.

Para viabilizar a demanda da empresa, a operação conta com nove gráficas selecionadas dinamicamente por critérios como gerenciamento de demanda, especificação de arquivo, gerenciamento de custo, tiragem e geolocalização, tudo para facilitar a vida do consumidor e baratear os custos finais de cada publicação.

Ricardo Almeida é CEO do Clube de Autores
“O autor não paga pela publicação de seu livro na plataforma e recebe os direitos autorais dentro do valor que ele mesmo determinar. Pensando em tudo isso, encontramos gráficas localizadas estrategicamente em vários lugares do mundo, para que o custo final ao consumidor também seja justo”, diz Ricardo Almeida, CEO do Clube de Autores.

“Nossa tecnologia e modelo de negócios permite uma operação extremamente enxuta, com apenas 4 funcionários. Ou seja, a montagem de uma rede terceirizada de gráfica nos permite foco na orquestração de parceiros, não na gestão de equipamentos e funcionários – o que traz alta escalabilidade”, exemplifica.

Distribuição nacional e mundial

A partir do final de 2017, os livros da plataforma começaram a ser distribuídos em canais terceiros, como grandes livrarias, por exemplo, o que fez com que seu share de vendas mudasse desde então.

Ou seja, os leitores passam a comprar mais nos canais de vendas, enquanto os autores optam por adquirir suas obras dentro do próprio CDA. Entre 2018 (ano inteiro) e o 1° trimestre de 2019, o share de canais aumentou em 10%.

Almeida explica que, com as vendas distribuídas física e virtualmente, o Clube conseguiu desenvolver um algoritmo de detecção de quais livros tem potencial de se tornarem best-sellers com base em dados como tema, velocidade de evolução das vendas, cadência de leitura.

“Hoje, apenas o Clube de Autores consegue entrar com uma base relevante de independentes para a formação de best-sellers por conta do seu volume, além disso, em um acordo de POD envolvendo redes internacionais de gráficas, a empresa passou a ser a primeira plataforma de autopublicação a vender e a entregar em todo o globo”, comemora o empresário.

A empresa já havia recebido seu primeiro reconhecimento internacional, em 2014, ao considerado o empreendimento mais inovador do mundo no segmento de “publishing” pela London Book Fair e passou a sonhar mais longe das fronteiras brasileiras, que resultaria em sua expansão de vendas para o mundo todo.

Em 2019 o Clube de Autores lançou um livro com dicas para novos escritores

Ainda 2019, para fomentar o mercado e para atrair novos escritores, o Clube de Autores lançou o livro "75 Dicas para Escrever um Livro", que entrega o caminho, passo a passo, para que qualquer pessoa possa escrever sua própria obra e publicar online ou em qualquer lugar do mundo.

“O Clube de Autores é a cauda longa do mercado editorial brasileiro. Sendo o maior em autopublicação, com 85% de participação no mercado nacional, é natural que os futuros grandes best-sellers venham do nosso acervo – o que nos transformará na cabeça de um mercado editorial já em forte movimento de transformação”, finaliza Almeida.

Top stories in your inbox!