You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Saúde mental das crianças preocupa educadores no retorno às aulas presenciais

Colégio Positivo recebe estudantes em novembro com projeto de apoio emocional

Com a liberação do retorno das atividades extracurriculares no Paraná a partir de novembro, muitas escolas estão retomando as atividades presenciais de forma gradual. O Colégio Positivo volta a receber alunos nesta terça-feira (3), em formato diferenciado, com foco no reforço das disciplinas e conteúdos de maior dificuldade de cada aluno e na saúde emocional das crianças e adolescentes. O conteúdo regular será mantido no formato on-line e a participação presencial é facultativa.

Preocupadas com os efeitos da pandemia na saúde emocional dos estudantes, as áreas de Educação Física e Psicologia Escolar do Colégio Positivo se uniram, por meio do projeto Positivo Mais Bem-Estar, para oferecer suporte psicológico, dinâmicas e atividades presenciais que propiciem o condicionamento físico, aumento da qualidade de vida, redução do estresse e da ansiedade, externalização de sentimentos e formação de valores morais e éticos. As aulas seguem as regras de distanciamento e todo o protocolo de segurança adotado pelo colégio.

Para os pais, o Colégio Positivo mantém um podcast, um blog e agora lançou a websérie "Sem Neura", que traz, no canal do colégio no YouTube, informações, dicas e instruções sobre Educação, cuidados com a saúde física e mental, organização de rotina e dicas para  lidar bem com as emoções no dia a dia. Segundo a supervisora do Serviço de Psicologia Escolar do Colégio Positivo, Maísa Pannuti, a iniciativa tem como objetivo auxiliar pais e responsáveis a conduzirem da melhor forma possível uma rotina adequada para crianças e jovens. "Cuidar da saúde mental e emocional em tempos de pandemia se tornou uma das prioridades não apenas dos pais, mas também das escolas. Estamos todos juntos nisso e precisamos trabalhar de forma a garantir que nossos estudantes se desenvolvam de forma saudável, com ensino presencial ou remoto", afirma Maísa.

De acordo com o diretor geral do Colégio Positivo, Celso Hartmann, a realidade dos estudantes durante os últimos sete meses contribuiu bastante para o aumento de problemas emocionais que podem interferir no comportamento, no relacionamento e até no aprendizado dessas crianças. "Trocar relações de verdade por mensagens de texto, dormir mal por conta do excesso de estímulos dos eletrônicos e, ainda, trocar atividade física e exposição ao sol pelas telas são fatores de risco conhecidos para a saúde mental. Sem contar a mudança da rotina, o medo, as incertezas, a solidão, a distância da escola, a intensificação de problemas de relacionamento em casa, entre tantas alterações que passaram a fazer parte do dia a dia de muitos estudantes. Agora, não é possível abrir as portas da escola e fingir que nada aconteceu", ressalta.

Segundo ele, muitos alunos já se acostumaram com as aulas remotas. Inclusive, mais da metade dos pais não pretendem enviar seus filhos para a escola este ano, segundo pesquisa da instituição realizada com mais de 5 mil familiares. "Caso não se sinta seguro, seja do grupo de risco, tenha suspeitas ou sintomas ou ainda tenha alguém em casa do grupo de risco, o recomendado é permanecer em casa", lembra o diretor. Para os que optaram por voltar, os pais tiveram que assinar um termo de compromisso com os protocolos de saúde e segurança do colégio, além de apresentar a carteira de vacinação do aluno atualizada e um atestado médico de que o estudante não pertence ao grupo de risco e que pode frequentar aulas presenciais sem risco à saúde dos demais.

O Colégio Positivo investiu mais de R $ 50 milhões em reformas e melhorias para se preparar para receber os estudantes e professores, atendendo às condições para que essa volta seja segura para todos. Além disso, uma campanha de conscientização e informação à comunidade escolar comunica sobre os novos procedimentos de entrada, saída, uso de máscaras, higienização das mãos, entre outras medidas exigidas.

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende oito unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e se desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo - Júnior, o Colégio Positivo - Jardim Ambiental, o Colégio Positivo - Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo - Hauer, o Colégio Positivo - Internacional, o Colégio Positivo - Água Verde, o Colégio Positivo - Boa Vista e o Colégio Positivo - Batel atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à Educação, material didático atualizado e professores transformados, com o compromisso de formar conscientes e solidários.Em 2016, o grupo chegou em Santa Catarina - onde hoje fica o Colégio Positivo - Joinville e o Colégio Positivo - Joinville Jr. Em 2017, foi incorporado ao grupo o Colégio Positivo - Santa Maria, em Londrina (PR). Em 2018, o Positivo chegou a Ponta Grossa (PR), onde hoje está o Colégio Positivo - Master. Em 2019, somaram-se ao Grupo duas unidades da escola Passo Certo, em Cascavel (PR), e o Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu (PR).