You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
Como ser uma startup com 20 anos de know-how

Como ser uma startup com 20 anos de know-how

Quem inova constantemente, sempre de olho naquilo que é importante para o cliente, encontra novas soluções e aproveita as oportunidades de crescimento

*Por Sergio Aronis

As empresas vivem cada vez menos e hoje é muito mais difícil continuar a ser relevante do que era no passado. Uma demonstração desse efeito, causado pela velocidade do desenvolvimento tecnológico, é o fato de que o tempo médio de vida das empresas do índice S&P 500 está em menos de 20 anos, contra 60 anos na década de 50. As companhias mais valorizadas do mundo, como Apple, Amazon e Google, ou foram criadas nos anos 90, ou renasceram das cinzas nesta época (graças a Steve Jobs).

A lição que se aprende disso é simples: é preciso buscar constantemente a reinvenção. E, para isso, as empresas precisam estar atentas ao que o cliente deseja. Somente assim é possível criar soluções para seus problemas, ganhar a preferência e continuar a ser relevante.

No setor de tecnologia, empresas que perduram aprendem a inovar constantemente. Para elas, a única constante é a transformação. Na Dentalis, vivenciamos isso na pele.

Nascemos como uma provedora de soluções de gestão empresarial (ERP) para consultórios odontológicos, lá nos anos 90. Nessa época, esse setor era formado por profissionais liberais, que abriam seus consultórios e desenvolviam pequenos negócios, limitados à quantidade de procedimentos que conseguiam realizar e clientes que conseguiam atender.

Mais de 20 anos depois, esse mercado é muito diferente. Temos visto, especialmente nos últimos cinco anos, muitos negócios que foram criados para serem escaláveis. Surgiram franquias odontológicas e grandes redes de clínicas, com aporte de capital de investidores. Em alguns anos, algumas dessas empresas buscarão abrir seu capital na Bolsa. É um mundo muito distante daquele profissional liberal que alugava uma sala em um prédio para exercer sua atividade.

A evolução do mercado trouxe novos desafios para todos. Hoje, não somos uma empresa de software para o mercado odontológico. Somos uma OdontoTech com 20 anos de experiência. Evoluímos para desenvolver soluções para o setor, acompanhando as transformações e a jornada dos profissionais e dos clientes.

Um exemplo é o uso do celular no setor de saúde. Criamos um aplicativo que permite que os profissionais administrem seus negócios a partir de seus smartphones, com dashboards, indicadores de desempenho e sugestões de ações de melhoria. Um verdadeiro cockpit digital a um toque de distância.

Nem sempre as soluções são novas. Às vezes, é preciso esperar o mercado evoluir para poder utilizar tudo o que a tecnologia oferece. Já em 2012, vislumbramos um futuro em que os clientes poderiam usar seus celulares para agendar consultas. Em vez de buscar indicações de profissionais, o usuário teria, na tela, a localização dos dentistas mais próximos, já que a conveniência é sempre um fator importante de decisão. Essa espécie de iFood odontológico, porém, estava distante da realidade dos clientes e só agora, em 2020, é que vem sendo adotada no mercado brasileiro.

Essa experiência mostrou que precisamos estar um pouco à frente do cliente, mas não muito. Soluções tecnológicas de sucesso não são mirabolantes: elas resolvem um problema que o usuário vê hoje como importante. É o caso das fintechs.

Por décadas, fazer a conciliação do contas a pagar de qualquer empresa foi uma tarefa demorada e sujeita a erros. A criação dos bancos digitais, algo que só foi possível nos últimos dois ou três anos, muda completamente esse cenário. Aproveitando essa oportunidade, realizamos uma parceria com o Fitbank para que todos os nossos clientes, sejam eles consultórios individuais ou redes com centenas de clínicas, possam ter seu próprio banco digital e, assim, ter 100% de controle e automação da sua gestão financeira.

Inovações como essa só acontecem quando a necessidade do cliente se une ao amadurecimento da tecnologia. E só aproveita esse tipo de inovação quem está acompanhando a jornada do cliente e entende o que o incomoda. Este é o espírito de startup: ter os olhos abertos para a necessidade do público e a inspiração de buscar novidades a todo instante.

*Sergio Aronis é CEO e fundador da Dentalis, empresa de softwares para clínicas odontológicas líder do mercado brasileiro