Uma das maiores autoridades Certificadoras do país reuniu alguns alertas para que os fãs de futebol saiam vitoriosos contra os ciberataques

Com a chegada da Copa do Mundo, todos os olhares estão voltados para um dos maiores eventos esportivos, e isso inclui também a atenção de cibercriminosos que aproveitam o aumento no fluxo de acessos e compartilhamento de informações entre usuários para obter dados valiosos e comprometer a segurança digital. De acordo com um levantamento feito pelo laboratório Arcon Labs, durante a Copa do Mundo de 2014 foi registrado um aumento de 57% nos ataques à segurança da informação e outros 216% foram relacionados a ameaça hacker existente na web.

E o Brasil é um país que por si só, está exposto a vulnerabilidade cibernética. Para se ter uma ideia, segundo o Relatório de Segurança do Brasil, entre o segundo e terceiro trimestres de 2017, 2 milhões de pessoas foram vítimas de cibercrimes no país. Por isso, para que nenhum torcedor caia em golpes, o especialista Lucas Vieira da Soluti, empresa especializada em Certificação Digital, listou cinco dicas simples que podem ajudar a reduzir os riscos e evitar incidentes:

1. Acompanhe os jogos da Copa em sites oficiais
É necessário prestar muita atenção nos serviços de streaming disponíveis na web. Procure assistir em sites das redes de televisão licenciados que irão exibir os jogos em tempo real. Além disso, é recomendado a instalação de um antivírus anti-phishing, como o Kaspersky internet Security.

2. Atente-se ao acessar e-mails que anunciam promoções e sorteios de produtos relacionados aos jogos
Hackers aproveitam para disparar e-mails spam oferecendo ofertas de produtos que são mais procurados durante a Copa, como TVs e camisas da seleção. O intuito é extrair dados pessoais e bancários para aplicação de golpes. Com isso, verifique diretamente no site da loja as promoções do dia.

3. Compre ingressos no site oficial da FIFA
Se pretende viajar para a Rússia, não caia na empolgação de comprar ingressos baratos. Todos os tickets devem ser adquiridos exclusivamente pelo site da FIFA. E para compras de passagens aéreas, acesse portais que são referências nesse tipo de serviço. Também não acesse links enviados por mensagens, as conhecidas “correntes”, principalmente se chegarem via WhatsApp ou e-mail.

4. Pesquise sites confiáveis para hospedagem
Outro risco é durante a busca de valores para a reserva de hotéis. O indicado é procurar sites que possuem um Certificado Digital SSL, por exemplo. O SSL identifica e protege as informações, criptografando-as no tráfego entre o computador do visitante e o servidor onde o website está hospedado. Para verificar sua existência, basta observar alguns sinais como um ícone de cadeado verde clicável na barra de URL do site. Também é importante checar se o SSL emitido está em nome da instituição acessada por meio de selo de segurança, que geralmente está no rodapé da página. Ao acessar o site, na barra de endereços, verifique se o protocolo de comunicação utilizado é o HTTPS. Além disso, leia opiniões de outros consumidores, isso também ajuda na hora de fazer a melhor escolha.

5. Evite usar Wi-Fi público
Alguns sites podem ser bloqueados na Rússia por uma questão de segurança, principalmente após o episódio de ataque ao governo durante as Olimpíadas de 2016. Com isso, para não dar bola fora, evite acessar redes públicas e sites bancários ou que exigem login e senha. Se possível, procure uma rede WiFi privada ou com criptografia WPA2 com AES e altere a senha de todas as contas que você acessou na rede pública.