Por Yago Almeida

Como já sabemos, um dos grandes potenciais econômicos do país, na indústria automotiva, gira em torno da compra e venda de carros usados. Com as crises que passamos nos últimos anos, vimos crescer ainda mais a procura por esses modelos que, teoricamente, geram mais economia para o consumidor.

Segundo um levantamento recente realizado pela Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), as vendas entre dezembro de 2018 e janeiro de 2019 foram 9,2% menores, um resultado já previsto, já que dezembro, historicamente, é um mês naturalmente forte em vendas. No primeiro mês do ano foram comercializados 1.163.377 unidades, contra 1.281.881 em dezembro de 2018. Quando comparamos janeiro de 2018 com o mesmo período de 2019, vemos um crescimento de 1,6%, indicando que a atividade começou o ano em terreno positivo com o acumulado de vendas 1.145.183 veículos, contra 1.163.377 em janeiro de 2019.

Porém, mesmo com o cenário positivo, é preciso que o consumidor fique atento para não cair em golpes que, infelizmente, são comuns nesse mercado. Por isso, listei abaixo alguns deles para você ficar atento e realizar uma boa compra:

  • O barato sair caro: assim como em qualquer segmento, se você encontrar um anúncio muito atrativo, com preços bem abaixo do mercado ou condições incríveis, corra! Geralmente, essas ofertas milagrosas não passam de um engodo para roubar seu dinheiro;
  • Carros apreendidos ou em leilão: sabemos que existe um grande número de carros que são apreendidos e levados a leilão, mas há quem aproveite disso e ofereça acesso ao pátio dos veículos e dizem conseguir descontos atrativos. Para isso, pedem que o comprador faça um depósito em sua conta e, claro, fogem com o valor monetário, sem deixar rastros;
  • Veículos de funcionários de montadoras: esse golpe é ‘simples’, mas gera prejuízos incríveis. Geralmente o falso vendedor diz que consegue um carro mais barato, pois conhece o funcionário de uma montadora. Mas para retirar o veículo, é preciso que o comprador faça um depósito na conta do funcionário. Dessa forma, os falsários somem como o dinheiro em conta e o comprador fica à ver navios;

E aí, você já passou por problemas assim?

*Yago Almeida é Diretor Comercial da Olho no Carro, uma startup que oferece segurança para transações de compra de veículos. O primeiro aplicativo web de consultas veiculares do país, analisa em poucos segundos, mais de dez variáveis, como  Decodificador de Chassi, Restrições e Impedimentos do veículo, Histórico de Roubo e Furto, Acidentes (sinistro de perda total), Indício de Sinistro, Leilão, Gravames, Histórico de KM e mais.