Depois de se estabelecer nos mercados dos estados de São Paulo e Paraná, a CUBi Energia planeja escalar para outros estados do Brasil.

Fundada em 2016, a empresa trabalhou em 2017 para amadurecer a solução de monitoramento de gasto energético em empresas. A ferramenta conta com hardware e software próprios.

O primeiro cliente foi a Bosch, multinacional que apostou no produto quando ele ainda não tinha sido totalmente desenvolvido, e participou de alavancagem de recursos em um edital de inovação.

Após a instalação do hardware junto ao maquinário ou a linhas de produção, o software processa as informações e repassa aos gestores da empresa para tomada de decisão.

“Toda empresa consome muito, principalmente energia, e não sabe de onde vem esse gasto dentro do processo. É muitas vezes o que acontece nas casas das pessoas, mas com contas maiores. Nosso plano inicial era focar em pequenas empresas, mas a Bosch conheceu nosso trabalho e nos procurou. Toda a demanda de médias e grandes empresas foi orgânica”, conta o co-fundador da startup, Rafael Turella.

Em tempos de crise econômica, o cenário se mostrou positivo para a startup. Turella lembra que a busca por redução de custos ganhou espaço nas empresas. Todas as companhias que procuraram a CUBi são empresas com alto gasto energético buscando diminuir os custos.

“A partir do diagnóstico é possível corrigir coisas simples que trazem resultado. Identificamos problemas como uso de energia fora do momento produtivo. Por exemplo, em um de nossos clientes, identificamos que alguns equipamentos gastavam de 30 a 40% do total de energia consumido quando estavam fora do momento produtivo”, relata.

O interesse crescente fez com que a atuação, primeiro, ficasse restrita aos estados de São Paulo e Paraná. A ideia, agora, é buscar novos mercados. E já há uma fila de espera de empresas de todo o país. A CUBi, agora, foca em médias e grandes indústrias.

“Nossa solução está adaptada para qualquer setor, mas em alguns há mais interesse, como a indústria automobilística, de transformação de plástico e indústrias químicas. E também temos atuação em shoppings centers e hospitais”, destaca Turella.