You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Dia da Fotografia: após quase dois séculos de existência, invenção pode perder o papel de registro histórico

Data é comemorada no dia 19 de agosto. Novas tecnologias digitais de manipulação da imagem colocam em xeque a veracidade do registro

Foi em 1837 que o francês Louis Daguerre fez uma das primeiras fotografias da história, registrando, com sua câmera, imagens sobre placas metálicas chamadas daguerreótipos. Poucos anos depois, o cientista britânico William Henry Fox Talbot inventou a imagem em negativo, que permitia a impressão de várias cópias em papel, método usado até hoje. As primeiras fotografias eram difíceis de tirar, porque as câmeras eram grandes, pesadas e registravam as imagens em placas rígidas, não em filmes. No fim do século XIX, o inventor George Eastman criou o filme flexível e uma câmera pequena e simples, tornando a fotografia mais acessível.

O coordenador da Assessoria de História, Filosofia e Sociologia do Sistema Positivo de Ensino, Norton Frehse Nicolazzi Junior lembra que a fotografia veio inicialmente para ocupar o lugar dos retratistas - pintores que eram contratados para fazer retratos. “Com o avanço tecnológico, o tempo de exposição foi ficando cada vez menor e o uso da fotografia foi ultrapassando o espaço de apenas retratos para outros serviços, sempre com o intuito de registrar um momento”, expõe.

Registros históricos

Historicamente os impactos da fotografia foram incontáveis. “Culturalmente, a forma dos registros se alterou, as fotografias passaram a compor os diários, jornais e trouxeram cenas muito importantes, valorizadas como registro histórico. “Se olharmos para o final do século XIX e início do século XX, por exemplo, muitos registros são icônicos até hoje. É só ver os vários bancos de imagem que temos e a maneira como a gente lida com imagens. Fotografias iconográficas, por exemplo, da celebração do final da Segunda Guerra Mundial, da criança vietnamita que foi atingida por Napalm, são muito importantes para a história, nos ajudam a interpretar todo o passado e trazem informações muito importantes para os historiadores e para a sociedade se reconhecer enquanto sujeito histórico”, afirma Nicolazzi.

Popularização e alteração de imagens

Com a evolução da tecnologia, a fotografia foi se popularizando e possibilitando registros familiares e do dia a dia. “Se antes tínhamos um número limitado de fotos, em um rolo de filme em que não era possível checar se a foto ficou boa, hoje convivemos com uma realidade que mudou o valor da imagem e transformou a relação que as pessoas têm com a fotografia”, enfatiza o historiador, alertando que ao mesmo tempo em que a fotografia se popularizou, o acesso à manipulação dessas imagens também.

“As fotografias na sua origem eram retocadas pelos artistas após a revelação, para dar um tom mais verdadeiro, mais real. Sabemos de manipulação de imagens durante a revelação ou até mesmo montagem de fotografias e criação de fatos, como aquela famosa fotografia dos soldados estadunidenses em Iwo Jima segurando a bandeira dos Estados Unidos. Hoje, nós temos um sem número de aplicativos que permitem que essas fotografias possam ser manipuladas – e a veracidade delas, enquanto documento, fica cada vez mais questionável”, alerta Nicolazzi.


Sobre o Sistema Positivo de Ensino

É o maior e mais tradicional sistema voltado ao ensino particular no Brasil. Com um projeto sempre atual e inovador, ele oferece às escolas particulares diversos recursos que abrangem alunos, professores, gestores e também a família do aluno com conteúdo diferenciado. Para os estudantes, são ofertadas atividades integradas entre o livro didático e plataformas educacionais que o auxiliam na aprendizagem. Os professores recebem propostas de trabalho pedagógico focadas em diversas disciplinas, enquanto os gestores recebem recursos de apoio para a administração escolar, incluindo cursos e ferramentas que abordam temas voltados às áreas de pedagogia, marketing, finanças e questões jurídicas. A família participa do processo de aprendizagem do aluno recebendo conteúdo específico, que contempla revistas e webconferências voltados à educação.

Top stories in your inbox!