Fundada em 2013, a eduK, startup de educação especializada em auxiliar quem quer trabalhar por conta própria, celebra neste mês seu aniversário de cinco anos e estabelece um novo posicionamento: ajudar a humanidade a ter sucesso na era pós-emprego. “As pessoas terão cada vez menos ocupações formais e, ao invés disso, vão empreender. Vamos nos empenhar para auxiliá-las neste processo de adaptação”, explica Renato Cagno, Diretor de Desenvolvimento de Negócios da empresa.

A plataforma possui mais de 115 mil assinantes, 700 especialistas e mais de 1.400 cursos em áreas como gastronomia, artesanato, fotografia, moda, beleza e negócios. “Queremos entregar ao público as ferramentas para que ele possa despertar suas vocações e falam seu próprio dinheiro fazendo aquilo que gostam”, explica Eduardo Lima, co-fundador e CEO da companhia.

Hoje, a empresa, que já impactou mais de 5 milhões de pessoas, conta com mais de 100 funcionários que ocupam um prédio de 3.000 m² divididos em 4 andares, além de 10 estúdios de gravação. Todos os experts que ministram aulas na eduK são referências em seus segmentos e passam por um processo de seleção. Nomes como Celso Kamura, Alice Salazar, Palmirinha, Danielle Dahoui, Raul Lemos e Bernardinho, fazem parte desta lista.

Diariamente, entre segunda e sexta-feira, a partir das 14h, cursos são transmitidos ao vivo e gratuitamente para qualquer pessoa interessada. Em seguida, as aulas entram em um catálogo que fica disponível para assinatura, onde é possível assinar por meio de três planos diferentes, que variam de acordo com cada necessidade. E, além dos cursos, os assinantes têm acesso a descontos exclusivos com marcas parceiras, ferramentas para melhoria da produtividade, redução de custos e aumento de vendas dos empreendedores.

A startup é considerada uma das empresas mais inovadoras da América Latina, de acordo com a revista Fast Company e, em 2018, foi reconhecida pela Fórum Econômico Mundial e o IFC/Banco Mundial como uma das 50 startups que estão moldando o futuro da América Latina.