You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Empréstimo X Antecipação de Recebíveis

Saiba a diferença das modalidades na hora de gerir o fluxo de caixa de empresas

O controle do fluxo de caixa é importantíssimo para o gerenciamento das empresas, pois permite ao gestor uma visão financeira completa. Mesmo sendo um requisito básico, o controle de contas a pagar e receber pode ser impreciso nas empresas, pois exige monitoramento constante.

Quando os gastos da empresa acontecem em prazos menores do que o recebimento de montantes referentes as vendas a prazo, há um desequilíbrio ou descasamento no fluxo de caixa. E as duas maneiras mais comuns para enfrentar este desafio são a antecipação de recebíveis e os empréstimos.

Muitos empresários ainda confundem estas duas modalidades. Confira abaixo algumas diferenças:

Empréstimo

Os empréstimos consistem basicamente numa modalidade de crédito em que um banco, ou outra instituição financeira, empresta dinheiro a uma pessoa jurídica mediante a promessa de retorno destes valores, acrescidos de juros, em um prazo determinado. Para quem recorre aos empréstimos, o valor é disponibilizado após a apresentação e análise de vários documentos que comprovam a credibilidade da empresa. O prazo para que o dinheiro seja devolvido ao banco é acordado e o pagamento é feito com taxas combinadas entre as partes.

Para aprovar um empréstimo, geralmente, envolve a necessidade da apresentação de uma série de documentos e de uma análise minuciosa da saúde financeira do solicitante, o que muitas vezes acaba por tornar o processo lento e até mesmo inviável. Quanto maior o risco envolvido na operação, maiores os juros.

Ao pegar um empréstimo a empresa assume uma dívida junto à instituição financeira, cuja inadimplência pode resultar em uma série de complicações judiciais, como por exemplo a negativação do nome e a penhora de bens e imóveis.

A principal desvantagem dessa modalidade são os altos juros. Por isso, o empresário deve fazer uma avaliação criteriosa antes de solicitar empréstimo bancário para, por exemplo, cobrir outros empréstimos. Sem esse cuidado, o negócio tende a ter suas finanças prejudicadas.

Antecipação de recebíveis

As contas a receber são apresentadas no balanço como ativo. A antecipação de recebíveis é apenas uma de uma série de operações contabilísticas que tratam da cobrança de um cliente. Estes podem ser distinguidos dos títulos a receber, que são dívidas criadas através de instrumentos jurídicos formais chamados de notas promissórias.

Antecipar recebíveis é basicamente trocar recebíveis futuros (que a empresa ainda vai receber) por dinheiro, aumentando a liquidez da empresa em troca de um pequeno percentual de desconto em cima do valor do recebível.

A empresa pode recorrer à antecipação de recebíveis por meio de uma Fintech quando é necessário capital para o caixa, evitando incorrer no pagamento de juros excessivos, no cheque especial e também em empréstimos.

Por exemplo a WEEL, Fintech de antecipação de recebíveis online, que por meio de Inteligência Artificial, consegue desburocratizar a antecipação de recebíveis. Veja as vantagens da antecipação de recebíveis online:

  • Análise de documentos de forma eficiente e segura;
  • Cálculo de custos da operação em poucos minutos;
  • Não gera dívidas. A operação antecipa um valor que já pertence ao cliente, mas que será pago em data futura;
  • Não exige garantias patrimoniais. A própria nota fiscal é o lastro da operação;
  • Não analisa a conta corrente do cedente ou do sacado como é feito em operações de financiamento ou empréstimo;
  • Não utiliza recursos externos. Nesta operação o empresário está antecipando seus próprios recursos, o que é mais seguro para a saúde da empresa;
  • Plataformas digitais completas e seguras, como a da WEEL, permitem que o gestor visualize todo o seu fluxo de caixa e também o cálculo da antecipação;
  • Integração com ERPs e outros sistemas de gestão financeira. O app da WEEL, por exemplo, é integrado aos ERPs Omie, ERPFlex, SAP Business One e à plataforma de gestão de notas fiscais;
  • Os valores resultantes da operação são calculados imediatamente e visualizados na tela do gestor. Sem surpresas.
  • Custos que não comprometem a margem do empresário.

Nas Fintechs, o atendimento é personalizado e humano, mas os custos não dependem de relações pessoais. Eles são definidos de maneira inteligente pela alta tecnologia. Por isso são justos.

Top stories in your inbox!