Fim do suporte para o Windows 7 é uma chance para modernizar as empresas

by Fabiele Fortaleza | 2 min read

Por Sandra Maura, CEO da TOPMIND

Há alguns meses as redes sociais foram tomadas pelo chamado “10 year challenge”, um desafio que tinha como objetivo comparar o que mudou na aparência das pessoas entre 2009 e 2019. Mais do que uma brincadeira nostálgica, porém, a iniciativa acabou virando mote para grandes discussões, inclusive sobre as mudanças no mercado de tecnologia. Afinal, poucas áreas mudaram tanto nos últimos dez anos. Basta notarmos as transformações nos smartphones, o avanço do acesso à Internet e a expansão da Computação em Nuvem, entre muitos outros dispositivos e recursos que surgiram e desapareceram nesse tempo.

A verdade, no entanto, é que nem tudo mudou. Em muitas empresas, por exemplo, o parque de computadores continua quase o mesmo, com poucas mudanças ao longo de toda essa década. É por isso, inclusive, que o anúncio da Microsoft sobre o fim do suporte ao Windows 7 é uma notícia que precisa ser encarada com atenção por toda a cadeia corporativa.

Marcado para janeiro de 2020, a descontinuação do Windows 7 exigirá que as companhias que ainda utilizam esse sistema operacional tenham que renovar seu parque rapidamente. Embora ainda possam continuar usando computadores com o sistema operacional, a falta de atualizações de software e segurança certamente colocará em risco as redes das empresas, deixando informações e operações vulneráveis.

Com mais de 100 milhões de computadores com Windows 7 em operação, a base de tecnologia das empresas precisará mudar rapidamente. De acordo com estudos especializados, até o início do ano passado, cerca de 40% das companhias no Brasil ainda utilizavam equipamentos com essa versão do Windows em suas redes e é de se esperar que, em breve, elas tenham de atualizar seus ativos, com novas soluções.

As explicações deste cenário, com tantos dispositivos ainda com a versão antiga do Windows, incluem uma série de fatores e dados. Um dos pontos, em especial, é o custo envolvido na atualização, o que pode demandar também equipamentos novos e atualização de sistemas legados da empresa.

Normalmente, as empresas tratam a atualização de um sistema operacional, por exemplo, como um projeto específico, que deve ser realizado, para tanto, com empresas especializadas no mercado. Assim, é possível garantir todo o suporte necessário, planejando e executando a demanda do começo ao fim - este é o caso da TOPMIND.
A atualização tecnológica é imprescindível para manter a competitividade dos negócios - e essa é uma condição que cada vez mais exigirá atenção dos líderes que querem acompanhar a transformação digital. Vale lembrar que a atualização da infraestrutura de TI está longe de ser um bicho de sete cabeças como no passado, sobretudo quando realizadas com o apoio de parceiros especializados e focados exclusivamente nesse tipo de suporte.
Dados da Microsoft indicam que a atualização dos sistemas operacionais e máquinas pode aumentar em até 30% a eficiência tecnológica das organizações, gerando respostas mais rápidas para a definição dos projetos. Esse é um dado que deve ser levado em consideração como um fator essencial para os negócios e para a definição estratégica das operações.
Outro ganho que precisa ser considerado é o fato de que somente com a modernização da rede é que as companhias poderão ter a possibilidade de usar todo o potencial de novos conceitos, como a Computação em Nuvem, transformando as iniciativas para armazenamento e processamento de dados, entre outros.
Em uma era marcada pela inovação constante, estar atento às novidades é o melhor caminho para evitar desperdícios, falhas e vulnerabilidades. As empresas precisam enxergar essa mudança como uma oportunidade para se atualizar e aproveitar o potencial de seus dispositivos e redes para o sucesso das operações.

Share twitter/ facebook/ copy link