You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Finalistas Jabuti 2020: Editora Positivo concorre com dois dos cinco indicados na categoria juvenil

A Câmara Brasileira do Livro divulgou a última lista de finalistas da 62ª edição do Prêmio Jabuti. Na primeira e segunda fases de divulgação dos finalistas, a Editora Positivo foi a editora paranaense com maior número de indicações. Para a última fase, em que apenas cinco finalistas concorrem em cada categoria, a Editora Positivo tem duas obras concorrendo na categoria juvenil: A Rede Florida, de Graziela Bozano Hetzel, e Rabiscos, de Luís Dill. Com temáticas que abordam sentimentos delicados que tomam conta das crianças em fases decisivas da vida, como a frustração de descobrir que é filha adotiva e as incertezas que podem povoar os pensamentos de um garoto com medo do que está por vir, os dois livros já receberam o Selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ),.

A comunicado de premiação do Jabuti será no dia 26 de novembro, com transmissão pelas redes sociais da Câmara Brasileira do Livro.

A Rede Florida

Recomendado a partir de 10 anos.

60 páginas

R $ 46,90

A obra da carioca Graziela Bozano Hetzel, com ilustrações de Anna Cunha, conta a história de Maria Rosa, uma adorável menininha que vive uma vida tranquila com os pais. Como toda criança, frequenta a escola, gosta de brincar, de ler e de ouvir histórias. Mas a data de seu aniversário chega trazendo, com a festa, algumas surpresas: a menina recebe da mãe e do pai uma dolorosa notícia, que aos poucos se acomoda em seu coração e se transforma em mais um espaço de afeto. Como a irmãzinha de sua colega Natália, Maria Rosa descobre que é filha adotiva de seus pais e que essa condição não quer dizer menos amor.

Rabiscos

Recomendado a partir de 11 anos.

96 páginas

R $ 63,90

O escritor Luís Dill e o ilustrador Fernando Vilela retratam uma angústia de um menino, sentado no corredor de um hospital, tentando entender que espera. Nesse tempo, observa o que acontece ao seu redor. Sozinho, sentindo frio - ele e a mãe saíram de casa às pressas, após um telefonema -, com uma caderneta azul nas mãos, ele encontrou-desenha-conta sua história, a da mãe grávida e a do padrasto, um motoboy que acaba de um acidente . Silenciosamente, cuida de seus medos e tenta não se sentir tão naquele lugar vazio e gélido, ao mesmo tempo que pensa em sua vida. Rabiscos é uma narrativa sensível em que juntos, imagens e projeto gráfico contam pequenos momentos de solidão e de descobertas de seu narrador.