You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Gartner divulga tecnologias incorporadas a automóveis que ajudam a reduzir a disseminação da COVID-19

Tecnologia automotiva está sendo desenvolvida para tornar os passeios de carro mais seguros

À medida que a COVID-19 começa a influenciar as tecnologias incorporadas aos veículos, os fabricantes de automóveis deveriam se concentrar em quatro áreas específicas para ajudar a diminuir o risco de infecção dos ocupantes, de acordo com o Gartner. Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas. Essas áreas incluem desinfecção, possível detecção de contágio e manutenção do distanciamento social.

"O novo normal imposto pela COVID-19 influenciará claramente a maneira como as pessoas viajam", diz Pedro Pacheco, Diretor Sênior de Pesquisa do Gartner. “O medo de infecção está começando a afastar alguns viajantes do transporte público, colocando uma ênfase maior em carros particulares e serviços de mobilidade compartilhados. No entanto, mesmo dentro desses veículos, os indivíduos querem garantia contra o contágio e várias tecnologias estão sendo implementadas em resposta a essa necessidade.”

Os executivos de TI (CIOs - Chief Information Officers) das empresas automotivas deveriam trabalhar com parceiros de tecnologia internos para incorporar tecnologias em quatro áreas para diminuir o risco de infecção pela COVID-19 aos ocupantes dos automóveis.

Desinfecção de Cabine – Luzes ultravioleta C (UVC) dentro das cabines dos carros podem ser usadas para desinfetar várias superfícies de toque frequente. As superfícies de plástico e vidro existentes nos automóveis também podem ser substituídas por plásticos e vidro antimicrobianos para reduzir a possibilidade de contágio de motoristas e passageiros a partir dos pontos de toque dentro da cabine. Essa desinfecção também pode ser feita por meio de um ciclo de aquecimento, em que o controle climático do carro pode aquecer a cabine por um longo período para reduzir a quantidade de contaminação microbiana.

Purificação do ar da cabine - Os fabricantes de automóveis podem instalar purificadores de ar a plasma que podem filtrar as impurezas do ar até PM2,5, o que é considerado adequado para combater germes e poluição. Os purificadores de ar a plasma para automóveis são algo relativamente comum em vários países asiáticos, o que significa que a tecnologia está pronta para ser adotada. O uso de filtros de ar particulado de alta eficiência (HEPA) também pode filtrar partículas germinativas no ar na cabine quando o controle climático é definido para a recirculação do ar, tornando-a mais segura para os passageiros.

Funcionalidades do carro conectado - Fechaduras de portas automatizadas e ações de partida e desligamento do motor por meio de aplicativos móveis poderiam reduzir o contato do motorista com superfícies dentro do veículo. Os aplicativos móveis também poderiam ser usados ​​para serviços de vendas de carros e de pós-venda sem contato físico, incluindo agendamento de testes (conhecidos como test drives), serviço de revisão em concessionária, assistência na estrada, serviço de manutenção em casa e entrega em domicílio de veículos.

"O pagamento sem contato é outro aplicativo de carro conectado que permite aos passageiros pagarem enquanto estão sentados dentro do carro, reduzindo o risco de exposição a infectantes", diz o analista.

Interface homem-máquina - O uso de um assistente de voz eficaz poderia reduzir o contato com as superfícies dentro da cabine. A Inteligência Artificial (IA) emocional pode tornar a interação entre os passageiros e o veículo mais personalizada e, ao mesmo tempo, ajudar na detecção precoce dos sintomas. Por exemplo, o uso de Inteligência Artificial emocional pode ser útil para detectar sintomas visíveis em passageiros como tosse e febre e notificar o motorista.

A pandemia enfatizou a implementação de medidas de higiene e tecnologias que certamente  podem reduzir o risco de infecção. "Os fabricantes de automóveis podem usar essas tecnologias para atrair mais compradores, uma vez que a saúde é uma das principais prioridades de todos os indivíduos", diz Pacheco.

Top stories in your inbox!