You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Gartner diz que líderes de segurança e gestão de riscos devem equilibrar problemas, confiança e oportunidade para ter sucesso em tempos incertos

Segundo analistas, executivos que cuidam de riscos têm a oportunidade de fortalecerem suas companhias com seus planos de recuperação e renovação de estruturas de TI

O  Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas, alerta que, no ambiente atual de incertezas, os líderes de segurança e gestão de risco devem se concentrar em equilibrar risco, confiança e oportunidade em suas tomadas de decisão para ajudar a manter a capacidade de suas organizações de atuar como um participante confiável na economia digital.

“Ao longo da primeira metade de 2020, definir o apetite pelo risco se tornou um desafio ainda maior para os líderes de segurança”, diz Jeffrey Wheatman, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner. “A capacidade de comunicar os impactos reais da mudança e do caos ou, em outras palavras, de atingir o nível certo de equilíbrio, é fundamental para trabalhar com as partes interessadas de negócios na definição e gestão do apetite de risco organizacional e capitalização de oportunidades”.

Neste contexto, os analistas do Gartner avaliam que é importante que os líderes dos processos de segurança e gestão de risco consigam atuar de forma equilibrada, balanceando os riscos, a confiança e as oportunidades presentes em suas tomadas de decisão.

Riscos – “Durante a pandemia de COVID-19, a segurança foi essencial. Ao longo da fase de resposta inicial, por exemplo, as equipes de segurança e risco identificaram riscos novos e ainda mais impactantes, atribuíram recursos e mudaram os investimentos para atender às iniciativas de negócios das organizações”, explica Wheatman. “Agora que as organizações fizeram seus investimentos iniciais em tecnologia, no entanto, os diretores de segurança da informação (Chief Information Security Officers - CISOs) e os líderes de gestão de risco têm a oportunidade de fortalecer suas companhias, à medida que avançam nas fases de recuperação e renovação. Para as equipes de segurança, a fase de recuperação é uma oportunidade de detectar e mitigar novos riscos que podem surgir como resultado da resposta inicial”.

De acordo com o analista, a pandemia também reforçou a necessidade crítica de programas de segurança ágeis o suficiente para reagir a choques externos – sejam eles menores ou maiores. Conforme as empresas avancem às fases de recuperação e renovação, elas devem reprojetar seus programas para atingir a agilidade necessária em suas operações.

Oportunidades – Uma pesquisa recente do Gartner descobriu que 90% dos CISOs acreditam que os negócios digitais gerarão novos tipos e níveis de risco. No entanto, 70% dos entrevistados disseram que o investimento em gestão de risco não está acompanhando esses novos níveis mais elevados de ameaças. Essas descobertas combinadas oferecem uma grande oportunidade para os líderes do setor se anteciparem às demandas.

“Os executivos de negócios continuam se concentrando na segurança como uma iniciativa estratégica. As organizações estão explorando como a tecnologia pode ajudá-las a transformar seus modelos operacionais. Isso significa que os profissionais de segurança e gestão de risco têm um papel fundamental a desempenhar, ajudando suas organizações durante essa transformação, evitando riscos desnecessários”, diz Wheatman. “Os CISOs têm uma capacidade única de fornecer aos líderes de negócios as percepções e ferramentas para ajudá-los a equilibrar o risco com a oportunidade potencial de transformação digital”.

Confiança – A adoção acelerada de recursos de transformação digital significa que a interação cada vez maior entre sistemas e clientes reforçará rapidamente a necessidade de as empresas estabelecerem equipes digitais dedicadas à gestão da confiança e da segurança em suas organizações. Essas equipes têm a tarefa de avaliar e gerenciar os riscos resultantes do número cada vez maior de pontos de contato e da necessidade de abordar uma visão estratégica de ameaças ao cliente e redução de danos.

Equilíbrio – Encontrar o equilíbrio certo entre a necessidade de os negócios aproveitarem novas oportunidades para obter vantagem competitiva e a exigência de se desenvolver políticas de segurança adequadas, que mitiguem os riscos em toda a operação, deve ser uma área de foco principal para os líderes de segurança e risco até 2021.

“Assim que o caos da recuperação começar a se estabelecer, as empresas viverão o novo normal. Nesta fase, o futuro começa a se tornar mais planejável”, afirma Wheatman. “Esta fase de renovação oferece aos líderes de segurança e risco uma grande oportunidade de apoiar os objetivos de negócios de suas organizações, ao mesmo tempo em que permite uma postura mais proativa na para a identificação e gerenciamento de riscos, o que fornece resiliência para as empresas seguirem em frente”.

Top stories in your inbox!