You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Imobiliária catarinense digitaliza operações e conta com alta na procura por imóveis durante período de isolamento social

Com o fechamento do comércio em março deste ano devido a crise na saúde, muitas empresas precisaram se reinventar e buscar a digitalização de seus negócios. Apesar de não preverem uma pandemia, os estabelecimentos que já haviam passado por esse processo estavam mais preparados para enfrentar os desafios da chegada do novo Coronavírus — como a imobiliária Biguaçu, de Santa Catarina, que digitalizou sua operação por meio da tecnologia da proptech RuaDois em 2019.

A startup realiza a transformação digital de imobiliárias com o objetivo de torná-las mais competitivas no cenário atual. A busca da Biguaçu pela solução oferecida pela RuaDois surgiu a partir de uma análise de concorrência que mostrou a necessidade de competir com empresas nativas digitais como, por exemplo, o QuintoAndar. À época da criação da Imobiliária Biguaçu, em 1986, ainda havia poucas concorrentes diretas, e os processos eram manuais, o que levava a um atendimento ao cliente totalmente físico.

A sócia Maria Augusta de Alcântara, a Guta, conta que a implementação digital em sua imobiliária foi determinante para lidar com os problemas trazidos pela quarentena. “O agendamento online e a assinatura digital realmente foram super importantes para não pararmos a nossa locação. Por causa das soluções que a RuaDois oferece não tivemos problema algum em alugar novos imóveis”, conta a empresária.

Mesmo com a quarentena, a imobiliária já está com recuperação rápida, com os mesmos níveis de visitas em comparação a janeiro, antes da pandemia. A procura por imóveis também cresceu na imobiliária de Guta. A executiva acredita que a digitalização se tornou essencial não só para o ecossistema imobiliário, mas para todo o mercado. “Quem já estava nesse movimento digital antes da pandemia, vejo que saiu na frente. Acredito que seja um caminho sem volta e, cada vez mais, a gente tem que ser digital”, pontua.

Com a digitalização, a imobiliária não precisou se preocupar com questões como os cartórios fechados devido a pandemia, já que a assinatura digital é um dos serviços oferecidos pela startup RuaDois. “O benefício disso realmente é a facilidade e a velocidade que a gente consegue ter em todo processo. Eu vejo que, em todos os segmentos, conseguimos ter uma agilidade muito grande. A pandemia só deu uma acelerada bem forte no processo”, comenta a sócia da Biguaçu.

Top stories in your inbox!