“Zerar” a fila do judiciário. O objetivo ousado é o que norteia o trabalho da Justto. A empresa se apresenta como uma plataforma para resolução de conflitos com valores acessíveis e sem burocracia para os consumidores, além de um diferencial tecnológico para os advogados. Para as empresas, a ideia é reduzir despesas com demandas judiciais e extrajudiciais.

Fundada em 2014, quando foi lançada a primeira câmara de arbitragem online do Brasil, a Arbitranet, a empresa tem hoje um sistema que pretende agilizar e tornar mais econômica a resolução de conflitos. Para isso, oferece um marketplace que reúne as partes em conflito com árbitros especializados no tema da disputa em questão. A resolução do caso sai em até três meses, e tem o mesmo valor de uma decisão de um juiz.

A Justto tem, ainda, uma plataforma de automação de acordos, a Acordo Fácil. Lançada em 2015, a plataforma oferece tecnologia de ponta – como Machine Learning, Inteligência Artificial e Análise de Big Data – para otimizar a performance. A plataforma, customizável, foi desenvolvida a partir de consultas a diretores jurídicos de grandes empresas e sócios de escritórios de advocacia.

“Acreditamos que, com o auxílio da tecnologia, negociação e arbitragem, uma fatia significativa das demandas que hoje são judicializadas poderão ser resolvidas antes disso acontecer, representando um ganho expressivo para todos. O nosso propósito é facilitar o acesso à justiça para todos, transformando conflitos demorados e caros em soluções adequadas, acolhedoras e amigáveis para cada situação, através da tecnologia”, afirma Pedro Paulo Iglesias, Executivo de Novos Negócios da Justto.

A empresa colhe bons resultados. Só em 2017 foram mais de 40 mil processos resolvidos, com uma média de sucesso de 72% na busca por acordos. Segundo estimativas da própria empresa, a redução de custos é de cerca de 50% em cada caso, na comparação com os conflitos que chegaram ao Judiciário. A Justto tem, ainda, mais de 15 grandes empresas como clientes, e o número de escritórios de advocacia que contratam os serviços tem crescido rapidamente.

“Com a adoção das nossas soluções, alguns clientes apresentaram uma economia da ordem milhões de reais em 2017, resolvendo seus conflitos de forma ágil e minimizando o prejuízo de imagem de sua marca. Por exemplo, em apenas um mês, economizamos mais de R$ 500 mil para uma grande empresa do ramo imobiliário”, comemora Iglesias.

Maior aceitação

Na avaliação da Justto, o cenário brasileiro está mudando. No início a empresa teve de enfrentar a resistência cultural ao uso de tecnologia para resolução de conflitos. No entanto, isso está sendo superado aos poucos, graças aos resultados e diante do panorama do judiciário brasileiro, que hoje representa uma via cara e muito lenta para conclusão das demandas.

“A tecnologia está cada dia mais presente na vida das pessoas e empresas e este fenômeno, sem dúvida, tem contribuído para o constante desenvolvimento da familiarização e contato com o que há de novo. Em 2017, já foi possível perceber que o público em geral se demonstrou cada vez mais confiante em acessar as nossas soluções e de outras empresas que utilizam este tipo de interação. Se há valor para o usuário, isto é, se há economia de tempo e dinheiro por exemplo, não existe dúvida de que a adesão só tende a ampliar”, encerra Iglesias.