You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
Mantenha o seu anúncio na televisão!

Mantenha o seu anúncio na televisão!

*Por Celso Vergeiro

Em um momento onde as novelas, os jogos esportivos, os programas diários e de auditórios dos canais abertos de televisão seguem em ritmo de “Vale a Pena Ver de Novo”, por conta da pandemia do coronavírus no Brasil, a TV por assinatura vem mostrando um aumento na audiência desde o início da quarentena, segundo um estudo realizado pela Kantar IBOPE Media, uma das maiores empresas de pesquisa de mercado da América Latina, e compilado pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), com dados de janeiro a maio deste ano.

Entre 16 e 22 de março, primeira semana do isolamento social, a TV paga correspondeu a 8,50 pontos de audiência, batendo recorde na semana seguinte, com 8,95 pontos. Os números reforçam o que a gente já sabe: o veículo é o principal meio de comunicação para quem busca informações confiáveis e seguras sobre os últimos acontecimentos. Com mais de 20 horas diárias de jornalismo ao vivo, a GloboNews assumiu a liderança da TV por assinatura no país, com 24 milhões de telespectadores nos primeiros cem dias de pandemia.

No mundo corporativo, profissionais de marketing e propaganda estão vivendo um período de muita dualidade, no sentido de tentarem encontrar a melhor forma para divulgar os seus conteúdos e estratégias de comunicação. Se por um lado a televisão teve aumento de audiência durante a reclusão forçada, por outro, nunca se falou tanto da importância da internet como atualmente, onde mais de 120 milhões de pessoas têm potencial para consumir conteúdo online. Ou seja, as mídias tradicionais e digitais estão dividindo o mesmo espaço.

A verdade é que a internet por si só ainda não sustenta a credibilidade das marcas, que é o fundamento de qualquer anúncio. Se você prestar atenção, grande parte das campanhas publicitárias do setor alimentício, farmacêutico, eletrônico, eletrodoméstico e instituições financeiras, por exemplo, exibem um serviço e falam da possibilidade de adquiri-lo pela internet ou via delivery. Produtos divulgados na TV têm um respeito muito grande, mas é nas plataformas digitais que os consumidores têm acesso imediato a eles.

Marcar presença onde a audiência está é fundamental para os negócios sobreviverem e para manter suas marcas e produtos em evidência, sempre na lembrança dos consumidores. Quem entende que uma mídia não desmerece a outra está direcionado ao sucesso e eu me arrisco a dizer que nenhuma mídia é diretamente concorrente, mas sim complementares. Em períodos de crise e instabilidade, é normal que os anunciantes não invistam em novas campanhas de TV, mas como vimos, o cenário é bastante promissor e o merchandising ainda é um nicho forte para ser explorado em veículos de massa, com grande representatividade de compra.

Se me cabe dar um conselho, estude e conheça profundamente os diferentes tipos de mídias e as vantagens que cada uma pode te dar em relação ao retorno. Mantenha o seu anúncio na televisão e colha os melhores resultados!

*Celso Vergeiro é CEO da Adstream, maior plataforma de armazenamento e distribuição de conteúdo publicitário do mundo.