You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Neste Dia da Energia, faça uma mudança nas fontes renováveis

A Signify (Euronext: LIGHT), líder mundial em iluminação, por ocasião do Dia Mundial da Energia, reforça a importância de implementar soluções sustentáveis para obter esse recurso. Segundo um dos últimos relatórios anuais do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), estima-se que apenas 2% da energia provém de energia renovável. Aproximadamente 80% é produzido a partir de combustíveis fósseis, dos quais 36% são provenientes de petróleo.


O Dia Mundial da Energia foi instituído em 1949 pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de promover a implementação de fontes alternativas de obtenção de luz e, assim, reduzir o uso de energia não renovável. Segundo a agência de classificação de risco da Moody Investors Service, a América Latina dobrará seu consumo de eletricidade nos próximos vinte anos, mas grande parte dessa demanda será atendida por energias renováveis. Até 2039, espera-se que 70% da geração venha de fontes não poluentes.


Brasil: Em documento divulgado no dia 11 de fevereiro, o Ministério de Minas e Energia previu que a participação da energia solar no Brasil irá quadruplicar nos próximos dez anos. A participação da energia solar deve saltar de 2%, em 2019, para 8%, em 2029. Já a participação da energia eólica passará de 9% para 16% nesse tempo.


Chile: Dentro do continente, o Chile é claramente o país que está na vanguarda, tanto no uso de energia solar quanto no apoio institucional a essa tecnologia. Dados divulgados pelo Comitê Solar do Chile indicam que 30% do consumo de eletricidade da América do Sul poderia ser fornecido usando apenas 6.000 quilômetros quadrados do deserto de Atacama.


Colômbia: O Ministério de Minas e Energia afirma que a Colômbia aumentará sua capacidade instalada 50 vezes para a geração de energia renovável a partir de fontes não convencionais, de menos de 50 megawatts em 2018 para 2.500 megawatts em 2022.


México: O Ministério da Energia (Sener) espera que até 2024, 43% da geração de energia no México seja devida a fontes limpas; e que, no período 2018-2024, de cada 10 pesos, 6,6 serão investidos em infraestrutura para gerar eletricidade ambientalmente correta.


Essa combinação de fatores abre a possibilidade de as soluções de iluminação aproveitarem a energia do sol para transformá-la em produção de luz de alta qualidade para ambientes internos e externos. É o caso da linha de luminárias Solar LED do portfólio da Philips, que pode transformar a maneira de iluminar espaços públicos e ajudar a reduzir consideravelmente o consumo de eletricidade, maximizando a luz fotovoltaica para iluminar à noite.


“O Brasil está se lançando no caminho de renovar suas fontes de energia para meios renováveis e a Signify se orgulha de estar fazendo sua parte para contribuir e propiciar essa mudança com suas soluções focadas em solar”, ressaltou Sergio Costa, gerente geral da Signify no Brasil.


Como funcionam as luminárias solares?


Durante o dia, o painel detecta automaticamente a luz natural, por meio de uma fotocélula, para convertê-la em energia elétrica armazenada na bateria. Durante a noite, a luminária LED é alimentada pela bateria através da energia acumulada, iluminando espaços abertos mesmo quando há falta de radiação solar por alguns dias, obtendo economia de energia de até 50% em comparação com tecnologias convencionais



Painéis solares e qualidade de vida


Na conscientização do papel da iluminação solar, vários países já estão começando a agir. Desde 2018, a Signify implementou com sucesso sistemas de iluminação solar em espaços públicos e residências em todo o mundo, principalmente no sudeste da Ásia, no Oriente Médio e no contingente africano, melhorando a qualidade de vida de milhares de pessoas. Essas luminárias ajudam a reduzir significativamente o consumo de energia, maximizando a iluminação à noite. Da mesma forma, esses projetos trazem múltiplos benefícios à sociedade, como o aumento da sensação de segurança após o anoitecer, ajudando as crianças a estudar e estender a atividade comercial além do horário de verão.


Na América Latina, por meio do programa “Ilumina Sua Vida”, diferentes soluções solares foram implementadas desde 2010. Em 4 países da região - Brasil, México, Peru e Colômbia - e em aliança com o Banco Interamericano de Desenvolvimento, o projeto conseguiu transformar a vida das pessoas, apoiando 23 espaços comunitários e campos esportivos em áreas rurais e urbanas através do acesso a serviços de iluminação sustentável, como LED e Solar LED.