Nove em cada dez pessoas acreditam que os bancos cobram taxas abusivas

2 months ago

Alguns cobram mais caro, outros, um pouco menos, mas, ao final do mês as taxas levam uma parte do dinheiro dos correntistas

Não importa se você recebe muito ou pouco, se é registrado, trabalha na informalidade ou pessoa jurídica, caso tenha alguma conta corrente em banco convencional, só uma constante existe: as taxas bancárias.

Seja para fazer movimentos, saques, transferências e outros, os bancos que operam de forma mais tradicional tem um pacote de serviços que contemplam alguns desses serviços e outras taxas operacionais. Em geral, por mês, a média de tarifas entre os 14 mais populares bancos convencionais do país é de R$ 27,64 o que dá aproximadamente R$ 331,68 por ano.

“Quando olhamos apenas o valor mensal que pagamos de taxa, não nos damos conta do quão abusivas elas podem ser. Mas, uma vez que somamos e percebemos o gasto por ano, é revoltante. Quantas coisas básicas poderíamos comprar com esse dinheiro?” questiona Gustavo Ribeiro, presidente da Airfox no Brasil.

Uma pesquisa idealizada pelo banQi, serviço bancário brasileiro gratuito e flexível projetado para acomodar todos os status socioeconômicos, em parceria com a Toluna, empresa fornecedora líder de insights do consumidor sob demanda, feita com mais de mil pessoas mostra um pouco de como as pessoas estão frustradas com o valor dos encargos pagos às corporações. Entre os entrevistados pelo estudo, 89% acreditam que os bancos tradicionais cobram taxas abusivas de seus correntistas, contra apenas 11% que acham que os valores cobrados são corretos.

Mas, o que isso significa para o bolso do correntista? Trazemos uma lista de coisas que podem ser compradas após um ano de economia.

Viagens

Segundo o Skyscanner você pode comprar (com uma certa antecedência) passagens de São Paulo para Belém ou Recife, por exemplo.

Comida

Com o dinheiro mensal é possível comprar um combo de Big Mac no McDonald’s (R$ 27,50) ou dois pratos feitos em São Paulo por (R$ 24,00). Com a economia anual é possível comprar uma cesta básica em Aracaju (R$ 328,70).

Beleza e perfumaria

Com o que vai economizar durante um ano sem taxas, é possível comprar por exemplo, em lojas virtuais, um desodorante Malbec (R$ 129,90) e um Elysée Eau de Parfum 50ml (R$ 219,90) e ainda sobra uma graninha.

Transporte

Para quem utiliza transporte público, o desconto das taxas anuais podem significar mais 44 viagens de ônibus e metrô em São Paulo, quase um mês de idas e voltas pela cidade. Para quem anda de carro, dá para se colocar 75 litros de gasolina (média nacional) e 114 litros nos carros à álcool, com a economia anual.

Lazer

Além disso, para quem mora próximo do litoral, essa grana pode virar uma baita festa na praia, e esse dinheiro economizado com as taxas garante uma ida ao mês no cinema que tem uma média no país de R$ 15,00 (segundo pesquisa do Anuário Estatístico do Cinema Brasileiro).

Poupança

Se o valor de R$ 331,68 foi colocado na poupança após um ano ele terá rendido apenas R$ 24,69.

Se você pudesse optar por gastar esse dinheiro em um banco ou gastá-lo em uma dessas outras coisas, o que escolheria?

Link para o estudo: http://tolu.na/l/Xf62Rcb

Nota ao editor

Pesquisa realizada dia 12 de junho de 2019 com 1050 pessoas das classes A, B e C, segundo critério de classificação de classes utilizado pela Abep – Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, onde pessoas da classe C2 tem renda média domiciliar de R$ 1.625 por mês. O valor de R$ 331,68 foi feito somando a taxa dos 14 principais bancos do país e as dividindo pelo número de instituições, de acordo com os números dados pela Febraban.

Metodologia

Para cálculo das taxas, foram utilizados os valores dos principais 14 bancos que operam no Brasil: Itaú, Santander, Bradesco, Citibank, Crefisa, CEF, Banco do Brasil, Safra, BMG, Banco do Nordeste, Banrisul, Banco Original, Banco do Nordeste e Banco Mercantil. A conta foi feita somando a taxa dos bancos e dividindo pelo número dos mesmos. Para os outros índices, foram usados dos dados fornecidos pelas agências governamentais oficiais.

Carlos Silva

Published 2 months ago