You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

O engajamento dos colaboradores em um mundo colocado à força em home office

Michaela Vicare *

Uma pandemia causada pelo novo coronavírus requer que as empresas de todo o mundo adaptem suas rotinas e métodos de trabalho, adotando o home office como resposta imediata à evolução do Covid-19. É fato que muitas empresas, no Brasil e no mundo, já tiveram essa prática regular. Mas sabemos que a maioria das empresas esmagadas foi forçada a se adaptar. Em empresas que já possuem um programa de home office implementado, o 'susto' era quase imperceptível. Com 100% das vezes trabalhando remotamente, muitas empresas têm casos tornados de inovação e manutenção da operação em perfeito funcionamento.Veja exemplos selecionados para módulos como os de tecnologia e financeiro, os exemplos são numerosos.

Mas como manter ou envolver os colaboradores com esse novo formato de trabalho? Alguns exemplos práticos - e, muitas vezes, simples - podem ajudar. Em algumas empresas, os colaboradores se reúnem virtualmente todos os dias, a qualquer hora, sem impacto no dia a dia no trabalho e no andamento do negócio. Pode criar um 'escritório on-line' completo, com salas virtuais para cada equipe, nas quais você pode trabalhar como se estivesse na própria sede. Qualquer funcionário pode 'visitar' uma sala de outra área e, dessa forma, é possível manter o engajamento, a comunicação e o relacionamento entre todos.

Além do dia no trabalho 'normal', mesmo à distância, outra medida que ajuda diretamente os colaboradores e a manutenção da organização cultural das empresas ou procura cada vez mais humana para as pessoas que estão usando cada um. Benefícios 'regulares' podem ser adaptados, em diversos casos. Um exemplo é uma opção para cada colaborador de distribuição ou crédito de valores relacionados a Vale-Refeição e Vale-Alimentação de acordo com suas necessidades: em vez de apenas creditar os valores de valores, permitir que as pessoas apontem como preferem essa divisão, finalmente , com mais tempo na casa, ou o consumo em supermercados é maior do que aquele em restaurantes.

Em tempos de crise sanitária, a saúde das pessoas deve vir em primeiro lugar. Por esta razão, ou campanhas de incentivo, como vacinar contra uma fila, é uma excelente iniciativa. Para empresas que podem obter ou obter subsídios também para dependentes legais, os resultados são ainda melhores. Alia-se a essa ação de responsabilidade social: com sintomas semelhantes aos de Covid-19, impedir uma ajuda direta e diminuir a necessidade de ocupação hospitalar, principalmente considerando a chegada do inverno.

Além disso, incentivar a realização de happy hours, cafés da manhã e treinamentos, todos os dias feitos virtualmente, é fundamental. Com o apoio da tecnologia, isso ocorre sem prejuízo ao diálogo e ao aprendizado. Atitudes como essas, que podem ser adotadas por empresas de porte e porte, contribuir diretamente com o registro e com relação a esse período e demonstrar o respeito da empresa por seus colaboradores.

No nosso caso, usufruímos do que mais entendemos: a tecnologia. Com ela, é possível otimizar o trabalho e entregar os mesmos resultados, melhorando processos, economizando suprimentos, contribuindo diretamente com a sustentabilidade, organizacional e ambiental e respeitando o isolamento social. Ainda não sabemos quando uma sociedade global retorna às vidas da maneira que conhecíamos. Mas, cada empresa pode seguir dando continuidade ao trabalho de maneira ágil, eficaz e integrada, mantendo o compromisso de colaboração com seus clientes e o cuidado com as pessoas. Porque antes de sermos tecnológicos, somos humanos.

* Michaela Vicare é diretora de Gente & Gestão (RH) no Tecnobank.

Top stories in your inbox!