*Por Juliana Maffia

Quando o assunto é atrair e engajar talentos, o Employer Branding é só a ponta do iceberg. A construção de uma marca empregadora faz parte de um universo que mistura conceitos de Marketing e Talent Acquisition. É justamente nessa mescla que surge o conceito de Recruitment Marketing.

Na mesma velocidade com que surgem aplicativos e plataformas para todos os setores, os novos termos do mercado de recrutamento também podem assustar até mesmo os profissionais mais ligados nas tendências de RH. Por isso, resolvi mostrar que ele não é um bicho de sete cabeças e até simples de aplicar, proporcionando um melhor retorno sobre os investimentos.

Em linhas gerais, o Recruitment Marketing engloba as estratégias e táticas que uma marca usa para atrair, engajar, nutrir leads e depois convertê-los em consumidores. A única diferença está que no Marketing de Recrutamento mudamos os leads para talentos e os consumidores para candidatos. Como um profissional de RH vai fazer isso? Mantendo uma comunicação constante com os diversos talentos, ao longo de suas jornadas, nos mais diversos pontos de contato com a empresa.

Por isso, acreditamos que o Recruitment Marketing abraça a estratégia de employer branding e vai além! Com ele, você não apenas torna sua marca empregadora reconhecida, como ativamente começa a nutrir um relacionamento com seus potenciais candidatos utilizando as ferramentas de marketing.

Quais são as funções do Marketing de Recrutamento?

1: Atrair os talentos certos - É aqui que você se preocupa em dar informação em troca da atenção dos talentos. Você compraria algum produto sem conhecer a empresa ou se ela tivesse uma reputação ruim no mercado? Hoje em dia as pessoas simplesmente não aceitam mais isso e conseguem informações com poucos cliques.Você, como profissional de R&S, precisa aceitar que o candidato fará a mesma coisa com sua empresa. Aqui o seu papel é auxiliar ele com o maior número de informações possíveis para que ele tome a decisão do que é melhor para sua carreira.

2: Segmentar os talentos e começar seu relacionamento - Uma vez que você começou sua estratégia de recruitment marketing e já captou os primeiros talentos, é hora de segmentá-los de acordo com sua necessidade. Você pode escolher segmentá-los por região, por curso de graduação ou por área de interesse. Tenha claro qual sua estratégia de R&S e aplique isso ao seu pipeline de talentos.

3: Nutrir seu público e criar um pipeline de talentos - A mensagem certa no momento certo pode ajudar você a encantar aquele talento que tem tudo a ver com a sua empresa. E mesmo sem uma vaga em vista, você mantém um relacionamento a longo prazo. A ideia é mantê-lo encorajado para que sua empresa nunca saia de seu radar.

É claro que tantas novidades, principalmente na área de RH, podem assustar no começo, pois são muitas informações para assimilar e novas maneiras de falar com o jovem. Mas entenda que assim como um profissional de marketing cria a jornada do cliente para fazer uma venda, você irá criar a jornada do candidato para fechar uma vaga. Está na hora de tratar seus candidatos como o marketing trata seus consumidores.

  • Juliana Maffia é Head of Content na Matchbox Brasil, HR Tech que chega ao mercado para revolucionar a forma como empresas e jovens se relacionam