You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
O SAC é pop: com equipe remota e altamente capacitada, SCOOTO leva qualidade e empatia para atendimento de organizações

O SAC é pop: com equipe remota e altamente capacitada, SCOOTO leva qualidade e empatia para atendimento de organizações

Empresa apostou na contratação de mulheres em situação de vulnerabilidade e montou equipe que conta com neurocientista, jornalista, arquiteta e administradora de empresas

Considerado um dos mais relevantes gurus do marketing no mundo, o americano Philip Kotler ensina que conquistar um novo cliente pode custar entre cinco e sete vezes mais do que reter aquele que já está na carteira da empresa. Mesmo assim, ainda são muitas as organizações que pecam no relacionamento com parceiros e consumidores e acabam amargando prejuízos, tanto financeiros quanto de reputação. Atentos a este cenário, a arquiteta Marina Vaz e o jornalista Diego Locci criaram a SCOOTO, empresa de atendimento ao cliente e vendas (SDR) 100% remoto. Com um atendimento humanizado e empático, o foco é construir relações duradouras, integrando todos os canais de comunicação de quem contrata o serviço.

“Conectamos a marca com pessoas que tem a capacidade técnica e, principalmente, se identificam com o seu público-alvo para que elas respondam os clientes como o dono da empresa responderia”, explica Marina.

O nome SCOOTO veio de “escutar” - um dos principais propósitos da empresa. “Oferecendo um atendimento diferenciado e à distância, conseguimos provar o valor de que não é preciso manter um atendimento interno para ter qualidade e resolutividade, é preciso ter uma boa comunicação”, enfatiza Locci.

Uma das apostas da empresa para entregar um atendimento diferenciado é a equipe de scooteiras. Atualmente no Brasil, as unidades call center possuem mais de 478 mil colaboradores em várias cidades do país, gerando em média R$ 1.000 de renda mensal. Além de ser um trabalho pouco valorizado e com pouca flexibilidade, o atendimento tem a dificuldade de manter o mesmo nível de qualidade durante todo o processo.

A Scooto vai na contramão. A empresa busca mulheres em situação de vulnerabilidade, seja em transição de carreira, mãe-solo ou moradora da periferia, e as remunera de forma justa. O salário médio é de R$ 3.500, muito acima da média do mercado - e o custo de contratação fica quase 50% abaixo dos grandes players desse setor, já que a operação dispensa a infraestrutura de espaços físicos.

O modelo de contratação é remoto e modelado de acordo com a disponibilidade de cada scooteira. Assim, a equipe já conta com neurocientista, jornalistas, arquiteta e administradora de empresas.

“Com um regime de trabalho de flexibilidade para os atendentes, foco no encantamento, na construção de relações e na leitura de dados pertinentes ao negócio, transformamos o SAC num gerador de leads qualificados, diminuímos o churn e potencializamos o melhor canal de marketing: o boca-a-boca”, garante Marina. Locci completa: “Conseguimos mudar o paradigma de que atendimento ao cliente é subemprego. Nossa equipe é formada por pessoas empáticas e extremamente qualificadas para o trabalho”.

Criada em 2017, a SCOOTO começou atendendo startups e, atualmente, conta com mais de 15 clientes em seu portfólio, incluindo marcas como XP, Infomoney, Academia Falconi, Psicologia Viva e Hisnëk. Com atuação em todo o Brasil e em parte do Chile, a empresa tem metas bem definidas para 2020: terminar o ano com faturamento de R$ 2 milhões e aumentar o time para 50 colaboradores.

“Queremos fechar novos  clientes para poder contratar cada vez mais mulheres e, assim, começar a mudar a realidade do nosso país”, finaliza Marina.

Sobre a SCOOTO:

Criada em 2017 pelos empreendedores Marina Vaz e Diego Locci, a SCOOTO é uma empresa de atendimento ao cliente e vendas (SDR), que conecta marcas com pessoas que tem a capacidade técnica para responder consumidores e parceiros  de forma humanizada, empática e à distância. Com mais 15 empresas em seu portfólio, conta com um time formado apenas por mulheres em situação de vulnerabilidade, seja em transição de carreira, mãe-solo ou periferia. Tem como missão construir relações duradouras integrando todos os canais de comunicação. Acesse scooto.co e saiba mais!

Top stories in your inbox!