O empreendedorismo digital tem ganhado força nos últimos anos. Dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) apontam que em 2018, o e-commerce nacional deve crescer 15% em relação a 2017 e faturar R$ 69 bi. O ano deve registrar mais de 220 milhões de pedidos nas lojas virtuais, com um tíquete médio de R$ 310. O setor tem desapontado como uma ótima alternativa de negócio que vai na contramão da crise.

No entanto, iniciar uma loja virtual requer estratégia e muito trabalho. Para facilitar neste processo, apresentamos um passo a passo para ter um e-commerce de sucesso no ponto de vista de alguns especialistas do mercado.

  • Planejamento

Segundo Alfredo Soares, fundador da Xtech Commerce, plataforma de e-commerce para PMEs, o primeiro passo a se tomar é o planejamento. É importante pesquisar o nicho de mercado e identificar quem é, como se comporta e o que deseja o seu público-alvo. Elabore um plano de negócios que mostre de quanto será o investimento e se tua ideia é viável financeiramente.

Feito todo o planejamento é hora de escolher uma plataforma para criar sua loja. Para Soares, é preciso analisar pontos importantes como: a ferramenta permite atualização conforme novas necessidades? A parte visual atende o meu tipo de negócio? Possui um bom canal de suporte? É compatível com os principais navegadores?

Marketing

Trace as estratégias de marketing. É preciso se fazer conhecido no meio em que deseja atuar. Por isso é necessário direcionar a sua publicidade para o público-alvo que você definiu. Segundo Victor Canô, CEO e fundador da Cazamba, empresa de tecnologia em mídia que permite marcas engajarem com seus consumidores, a internet mudou o comportamento dos consumidores, quanto mais informações você tiver a respeito do seu público, mais personalizada será sua comunicação e engajamento, menor será seu custo por lead e maior o retorno sobre seu investimento.

Pós vendas

O lucro está na re-compra, já ouviu falar? Para Alfredo, este é um passo que não pode ser esquecido. É fundamental fidelizar seus clientes, para que sempre voltem a comprar. Por isso, administre seu pós-venda. Muitos clientes não voltam a comprar, pois depois que fazem sua primeira compra são esquecidos pelo lojista. Realize pesquisas de satisfação, faça promoções exclusivas, esteja aberto a ouvir críticas e entregue sempre mais do que esperado.

Com a loja já funcionando, mesmo que com poucas semanas, já se faz necessário mensurar os resultados obtidos. Fique atento ao número de pessoas que circulam diariamente em sua loja virtual, por onde elas têm vindo, quais produtos de maior interesse e vendas, etc. A partir desses dados, você terá informações reais do desempenho do seu negócio e então poderá realizar ajustes com a meta de sempre de aumentar as vendas, reduzir custos e gerar mais lucro.

Segurança

De acordo com o Tom Canabarro, co-fundador da Konduto o e-commerce é um mercado com altíssimo potencial de faturamento, mas o profissional deve atentar-se a um problema inerente a esta atividade: as fraudes cibernéticas, originadas em compras feitas por criminosos que se utilizam de cartões de crédito clonados - em 2017, o comércio eletrônico brasileiro teve taxa de tentativa de fraude na casa de 3%, ameaçando a reputação, a saúde financeira e a operação de qualquer negócio.

Qualquer loja virtual hoje em dia deve contar com uma ferramenta antifraude, que analisará para o lojista o risco em compras de cartão de crédito a partir de uma série de informações - como por exemplo dados cadastrais e financeiros, geolocalização, monitoramento do dispositivo utilizado para a compra, comportamento de navegação do cliente etc.

Meio de Pagamento

Aposte na inovação e na otimização na hora de implementar solução de pagamento digital. A tecnologia hoje permite com que esse processo possa ser realizado de forma mais simples e dentro da lei. De acordo com Patrick Negri, CEO da iugu, startup de automação financeira, gestão de assinaturas e marketplace, para quem está iniciando sua operação no e-commerce é importante buscar por operações financeiras que oferecem soluções de ponta a ponta, desde o processamento de pagamentos e antecipação de recebíveis até a conciliação financeira, diminuindo o custo da operação e erros humanos para tornar o negócio mais eficiente.

Empréstimo

Se analisando todos estes passos você se der conta que não tem dinheiro disponível para investir ou não quer tirar dinheiro dos lucros da empresa, pedir um empréstimo pode ser uma ótima solução. Muitas fintechs oferecem crédito com juros mais atrativos, como é o caso da BizCapital, que tem como objetivo tornar o crédito mais acessível e atender micro e pequenas empresas que estão fora do radar dos grandes bancos. Todo o processo, desde o pedido até a concessão do empréstimo, segue de forma digital, online ou por telefone, para atender aos requisitos do Banco Central e da legislação bancária, sem custos cartoriais, papéis ou muitos outros entraves encontrados em processos tradicionais.