Pesquisa mostra que uso de vídeos reduz a evasão de alunos

by Carlos Silva | 2 min read

Em uma pesquisa focada na educação superior concluiu-se que uma vez que a taxa de matrícula dos cursos passava de 100 alunos, o vídeo passava a ter um impacto real no que diz respeito a taxa de evasão dos cursos. Nos cursos com menos de 100 alunos, por outro lado, o vídeo não teve um efeito grande o suficiente para a elaboração de nenhuma conclusão. Esse resultado mostra que por trás da conexão do uso de vídeos, o meio de instrução pode de fato impactar nos resultados do aluno e que classes maiores possam usar vídeo para compensar sua natureza aparentemente impessoal.

No gráfico acima, os valores absolutos mostram que em cursos com até 100 alunos matriculados, de fato não é possível registrar grandes impactos. Em salas de aula que contam com no máximo 50 estudantes, a taxa de desistência é de 28.20% em cursos com vídeo contra 25.60% de cursos que não contam com o material. Uma diferença ainda menor é registrada para as salas de aula que contam até 100 alunos, com taxas de 21.90% contra 22.60%.

Porém, o tamanho do efeito Cohen aumentou em salas de aula maiores, sendo pequeno em ambientes até 150 alunos e médio nos que contam com mais de 150. No primeiro cenário, a taxa de evasão nos cursos com vídeo é de 18.90% contra 22.60% dos que não utilizam o material. No segundo, a diferença cresce ainda mais com 14.30% de desistências contra 21.40%.

Como os dois tipos de curso experimentaram o mesmo efeito, então foi necessário verificar a conectividade social como uma possível explicação. Em classes pequenas, os alunos têm muitas oportunidades de se conectar com seus professores e outros alunos presencialmente. No entanto, à medida em que a classe aumenta, as oportunidades de se conectarem diminuem, fazendo com que muitos alunos sentissem com que a comunicação baseada em vídeo fizesse com que seus professores parecessem mais reais e presentes.

Outra pesquisa realizada na Canvas Network, que oferece cursos e aulas online das principais universidades do mundo, mostra que em quase 30,000 páginas de conteúdo, os alunos visualizaram as que contém vídeo em uma taxa muito maior do que as páginas sem o recurso.

“Quando se trata da construção dos tipos de cursos que mantêm os alunos comprometidos na classe, o vídeo é um recurso muito efetivo.  Ao contrário do que poderíamos supor, o uso de vídeos está tornando a experiência do EaD mais humana e interativa”, concluiu Alejandro Sisniega, Diretor da Instructure para América Latina

Share twitter/ facebook/ copy link