You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Pesquisa revela alto nível de estresse entre crianças e adolescentes

Levantamento junto a escolas oferece oportunidade de promover ações que ajudem a combater índices preocupantes de estresse

A pandemia transformou o comportamento das pessoas em diferentes âmbitos. Frente a esse cenário, hábitos saudáveis de crianças e adolescentes, como praticar atividade física, comer de forma equilibrada e manter uma rotina de sono e relaxamento psíquico acabam deixados de lado. Os resultados prévios de uma pesquisa aplicada em escolas em várias partes do país mostram números preocupantes. O levantamento aponta que, entre as crianças de 6 a 11 anos que participaram da pesquisa, 55,8% demonstraram nível de estresse alto e outras 38,5%, moderado. Dessas crianças, 23,5% indicaram que não estão sabendo lidar com esse estresse. Entre os adolescentes, 74% também apresentaram algum nível de estresse, com 11% deles reconhecendo que não estão conseguindo administrar bem a situação.

De acordo com uma das pesquisadoras, a assessora pedagógica de Educação Física do Sistema Positivo de Ensino, Juliana Landolfi Maia, tais alterações comprometem enormemente o bem estar dos estudantes. "Mudanças de rotina que trazem impactos severos nos hábitos e comportamentos podem causar transtornos psicológicos como ansiedade, depressão e diminuição da motivação, tanto em crianças e jovens,  quanto nos adultos", alerta Juliana. A pesquisa faz parte do Projeto Fique Bem, elaborado pela equipe de assessores de Educação Física e Arte do Sistema Positivo de Ensino, em parceria com a PsiCOVIDa, uma força-tarefa formada por pesquisadores e professores universitários do Brasil e exterior.

O projeto tem como objetivo verificar a influência de práticas educativas para a motivação e adoção de comportamentos saudáveis e é aberto para todas as escolas que tiverem interesse em participar. O questionário aborda aspectos que indicam o nível de atividade física, comportamento alimentar, a qualidade do sono e a capacidade de enfrentamento do estresse de cada um. Até agora, a pesquisa já contou com a participação de 109 escolas, com mais de 3.200 questionários respondidos, entre alunos, pais e professores.

Segundo a pesquisadora, a partir dos resultados colhidos no estudo, as escolas têm a oportunidade de promover ações de desdobramento junto à comunidade escolar para que a percepção de bem estar seja melhorada neste período de pandemia e na volta às aulas presenciais. "Os resultados, em alguns casos, já estão servindo como norteador para a elaboração de planos de trabalho junto aos alunos. Além disso, todos os participantes recebem um feedback individual após responderem a pesquisa. O projeto ficará em vigor até o final de novembro, portanto as escolas ainda podem participar", destaca Juliana.

O Colégio CAD, em Sinop (MT), aderiu ao projeto e os dados referentes à participação de seus alunos mostraram que a ausência de atividades físicas estava comprometendo o bem estar, principalmente dos adolescentes. Com o resultado da pesquisa em mãos, foi possível planejar e executar um plano de atividades de estímulo à prática de atividade física. Segundo o professor de Educação Física do colégio, Júlio César Liberali, por meio de desafios, os alunos estão sendo incentivados a se exercitar. "Nós temos lançado para os alunos do 6° ao 9° ano desafios com atividades como caminhada, andar de bicicleta, exercícios de agachamento, flexão, pular corda e os incentivamos a competirem entre si, como forma de engajamento. Pode parecer pouco, mas já produz uma enorme diferença na rotina do jovem e no estado emocional de cada um", garante o professor.

Serviço:

Projeto Fique Bem

Público: aberto para escolas de todo o país

Prazo de participação: até novembro de 2020

Como: pesquisa disponível no site SPE com você https://specomvoce.com.br/fiquebem/


Sobre o Sistema Positivo de Ensino

É o maior e mais tradicional sistema voltado ao ensino particular no Brasil. Com um projeto sempre atual e inovador, ele oferece às escolas particulares diversos recursos que abrangem alunos, professores, gestores e também a família do aluno com conteúdo diferenciado. Para os estudantes, são ofertadas atividades integradas entre o livro didático e plataformas educacionais que o auxiliam na aprendizagem. Os professores recebem propostas de trabalho pedagógico focadas em diversas disciplinas, enquanto os gestores recebem recursos de apoio para a administração escolar, incluindo cursos e ferramentas que abordam temas voltados às áreas de pedagogia, marketing, finanças e questões jurídicas. A família participa do processo de aprendizagem do aluno recebendo conteúdo específico, que contempla revistas e webconferências voltados à educação.