You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Pesquisadores estudam planta nativa e descobrem propriedade terapêutica na redução de peso

Pesquisa desenvolvida para o Programa de Pós-graduação em Biotecnologia Industrial da Universidade Positivo (UP) concluiu estudos preliminares sobre as propriedades terapêuticas da Picramnia excelsa, popularmente conhecida como cedrico, no tratamento da obesidade. “Os resultados foram satisfatórios e mostraram o potencial da planta, nativa da região da Floresta de Araucária, para favorecer a redução no ganho do peso corporal”, destaca Eliane Carvalho de Vasconcelos, pesquisadora e professora do Programa de Mestrado em Biotecnologia Industrial da UP.

Após comprovação da não toxicidade da planta, a pesquisa começou a investigar as possibilidades do extrato aquoso da casca no tratamento da obesidade e diabetes tipo 2, por meio de testes aplicados, num período de 30 dias, em ratos. “Observamos que o chá administrado nos animais, que receberam dieta hipercalórica e hiperglicêmica, se mostrou capaz de reduzir o ganho de peso e os índices glicêmicos. E, inclusive, notamos redução da gordura no fígado”, atesta a professora.

A equipe formada pelo mestrando Eunildo Macedo do Nascimento e o professor Marcelo de Paula Loureiro, com orientação da professora Eliane Vasconcelos, concluiu que a planta é promissora no combate à obesidade e na melhora do diabetes. “Nossa pretensão é tornar a Picramnia excelsa um fitoterápico alternativo no tratamento da obesidade. Para alcançarmos esse objetivo, vamos avançar com as pesquisas que, atualmente, estão suspensas por conta da pandemia, para então desenvolver o produto. Depois, vai passar por todos os estágios exigidos para o registro e a aprovação da Anvisa e, finalmente, para comercialização”, pontua Eliane.

Nascimento afirma que a Abeso - Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica não reconhece nenhum medicamento à base de plantas para emagrecer, apenas termogênicos e aceleradores do metabolismo. "Então, nossa pesquisa pode gerar um fitoterápico alternativo para a redução do peso. Quero seguir a mesma linha de pesquisa para meu doutorado, avançar nos testes e originar um produto biotecnológico com a propriedade de emagrecimento”, vislumbra.

A pesquisa

Os pesquisadores utilizaram ratos machos albinos na pesquisa. Eles foram alimentados com dieta hipercalórica durante 24 semanas para indução da obesidade e diabetes Mellitus, sendo pesados a cada sete dias. Após o período final, os animais receberam o chá da casca da Picramnia excelsa durante 30 dias. Os animais foram pesados a cada três dias durante o tratamento. Também, foram submetidos ao teste de tolerância à glicose oral para avaliar as alterações ocorridas na disponibilidade glicêmica pelo processo de indução de obesidade no início, no final do experimento e após 30 dias de tratamento com o chá. A pesquisa foi aprovada previamente pelo Comitê de Ética em Uso de Animais em Pesquisa da Universidade Positivo e seguiu as recomendações do Colégio Brasileiro de Experimentação Animal (COBEA) para garantir toda cautela e cuidados éticos com os animais.

A professora ressalta que, de acordo com os dados obtidos a partir deste experimento, foi possível observar que a planta Picramnia excelsa tem grande potencial para ser utilizado no tratamento da obesidade e de diabetes. “Foi clara a redução sem ganho de peso dos ratos a partir do momento em que foram descobertos ao tratamento com o chá”, finaliza Eliane.

Sobre a Universidade Positivo

A Universidade Positivo é referência em ensino superior entre as IES do estado do Paraná e uma marca de reconhecimento nacional. Com salas de aula modernas, laboratórios com tecnologia de ponta, mais de 400 mil m² de área verde no câmpus sede, a Universidade Positivo é reconhecida pela experiência educacional de mais de três décadas. A instituição conta com três unidades em Curitiba (PR) e uma em Londrina (PR) e mais de 70 polos de EAD no Brasil. Atualmente, oferece mais de 60 cursos de Graduação, centenas de programas de especialização e MBA, sete programas de mestrado e doutorado, além de cursos de educação continuada, programas de extensão e parcerias internacionais para intercâmbios, cursos e visitas. Além disso, tem sete clínicas de atendimento gratuito à comunidade, que totalizam mais de 3.500m². Em 2019, a Universidade Positivo foi classificada entre as 100 instituições mais bem colocadas no ranking mundial de sustentabilidade da UI GreenMetric. Desde março de 2020 integra o Grupo Cruzeiro do Sul Educacional. Mais informações em www.up.edu.br