Placas adulteradas, clonadas ou perdidas. Como proceder?

Renniê Paro | 2 min read

*Por Yago Almeida

O setor automotivo é um dos que mais impacta a economia no Brasil. Segundo a Associação das Montadoras (Anfavea), tivemos uma alta de 6,7% na produção de veículos no país, em 2018. Ao todo foram 2,8 milhões de carros, caminhões e ônibus e, em 2017, foram apenas 2,6 milhões.

Isso nos mostra o tamanho do mercado automotivo no país e ainda seu potencial de expansão. Como sabemos, o brasileiro é um dos mais apaixonados por carros em todo o mundo e comprar um ainda é um status cobiçado por muitos. Porém, como em todo setor que faz girar a economia, há sempre quem queira dar uma de ‘espertinho’ e tirar vantagem sobre os outros.

Por isso, é preciso tomar cuidados para não cair em armadilhas e fraudes que são comumente aplicadas. As placas são um dos itens que mais gera transtornos para quem não está tão atento ao que acontece no mercado. Por isso, vamos listar como proceder em cada caso:

  • Placas adulteradas: Alguns números ou letras podem ser alterados com fita isolante, por exemplo. O número 6 pode se tornar um 8. Essas adulterações são feitas para escapar de radares ou não respeitar o rodízio de carros em cidades como São Paulo, por exemplo. Entretanto, esse artifício pode custar caro. Se o motorista for parado em uma blitz, a alteração será facilmente identificada. De acordo com o código de trânsito, adulterar ou remarcar a placa ou qualquer outro componente gera multa e reclusão de até três anos.
  • Placas clonadas: Você já deve ter ouvido falar de casos em que um condutor recebeu uma multa em uma cidade onde seu veículo nunca esteve. Caso não seja um erro do agente de trânsito, a multa pode ser fruto de adulteração ou até mesmo uma clonagem de placa do seu veículo. Portanto, quem for vítima deve solicitar ao Detran uma microfilmagem ou fotograma (no caso de registro por radar) do auto de infração. Caso se confirme a fraude, é fundamental denunciar que existe uma duplicidade. Para isso, é preciso preencher o formulário no site e apresentar em um posto do Detran ou Ciretran, fotos impressas de todos os ângulos do veículo, documentos originais, comprovante de residência e escrever uma carta de próprio punho relatando o acontecido. É impossível impedir totalmente que esse problema ocorra, mas algumas atitudes podem diminuir a chance. A principal delas é não publicar foto do veículo com a placa visível nas redes sociais. E ao publicar um anúncio de venda em sites e jornais, “borre” ou oculte a placa.
  • Placas perdidas: O primeiro passo é fazer um boletim de ocorrência. Depois você deve procurar o Departamento de Trânsito (Detran) da sua cidade (ou online) e solicitar uma nova ordem de emplacamento. Se a placa perdida for a dianteira, não é necessária uma nova vistoria. Portanto, é só pagar a taxa e adquirir a placa nova. Caso tenha perdido a placa traseira será necessário realizar todos os trâmites legais novamente
Share twitter/ facebook/ copy link