Sobre Torne-se polinizador Mural de vagas Newsletter Podcasts Eventos
Sign-in
/ Edtech

Plataforma de ensino infantil quer melhorar o rendimento das crianças na escola

Competência em língua portuguesa e em matemática podem otimizar os resultados em outras atividades

As avaliações oficiais nos mostram que mais de 5 milhões de crianças brasileiras de até 8 anos de idade não aprenderam o que deveriam em língua portuguesa e matemática. As informações são do Rafael Parente, PhD em Educação e CEO da Aondê/Conecturma. “Isso significa que elas continuarão sem aprender o que deveriam nos anos seguintes e terão suas oportunidades de vida diminuídas. Este é o principal problema que queremos resolver”, afirma Parente.

Com foco em crianças de 3 a 11 anos de idade, a Conecturma tem a ambição de aumentar em, pelo menos, 30% os resultados na aprendizagem desses alunos. Segundo o CEO da startup, foram lançados os primeiros pilotos com 1.500 alunos no começo de 2015. Assim como outras empresas de educação que entram no mercado, o principal desafio agora é fazer com que um número cada vez maior de crianças utilizem a metodologia.

Benefício no dia a dia

Quando as crianças aprendem tudo o que precisam, principalmente em língua portuguesa e matemática, elas conseguem aprender mais sobre qualquer outra coisa. “Melhorar a qualidade e equidade educacional solucionará diversos outros problemas que temos em nosso país, como saúde, segurança e eficiência na gestão pública e privada”, defende Parente.

A Conecturma é uma metodologia de aprendizagem de língua portuguesa, matemática e competências para a vida que reúne vários elementos, tais como livros didáticos, plataforma digital adaptativa e gamificada, desenhos animados, músicas e fantoches, combinados para aumentar a motivação, o interesse e a concentração de crianças.

A principal parceria atual da Conecturma é com o Google no desenvolvimento de jogos digitais em realidade virtual aumentada. Segundo Parente, os jogos já estarão sendo pilotados em várias escolas neste semestre. Atualmente, 6 mil alunos já foram impactados pela plataforma. A nossa meta é chegar a 185.000 em três anos.

Vários estudos já mostram que as plataformas digitais podem aumentar a motivação, a aprendizagem e diminuir a evasão dos alunos. “Acredito que as melhores plataformas passarão a ser utilizadas por um número cada vez maior de alunos e a inteligência artificial passará a ser uma ferramenta importante de auxílio ao trabalho dos professores”, diz Rafael.

Plataforma de ensino infantil quer melhorar o rendimento das crianças na escola
Compartilhar