Gartner anuncia pesquisas sobre o tema no Brasil durante o Gartner Symposium/ITxpo 2018

Você sabia que suas chances de sobreviver a um ataque cardíaco são maiores em Copenhagen? Isso porque o serviço de emergência na capital dinamarquesa utiliza um agente virtual para ajudar a identificar ocorrências como infartos. Embora humanos sejam capazes de reconhecer um ataque cardíaco em 73% das vezes, dados inicias mostram que agentes virtuais aliados à competência humana são capazes de distinguir situações de mal súbito em 95% dos casos.

Para analistas do Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia, esse é um exemplo de como a Inteligência Artificial (IA) pode ser o ponto de partida para uma Transformação Digital que capacita máquinas para entregarem valor para organizações.

“Histórias como essas podem ajudar executivos de TI (CIOs – Chief Information Officers) a mudarem o que pessoas pensam sobre como serão os negócios no futuro”, explica Kristin Moyer, Vice-Presidente e analista do Gartner. “Nossas pesquisas mostram que 66% dos líderes desejam transformar, mas apenas 11% dos executivos estão realmente entregando negócios digitais”.

Segundo o Gartner, para determinar se sua organização já está preparada para a transformação digital, pergunte: ‘Estamos mudando a maneira de ganhar dinheiro?’ ou ‘Mudamos a forma como entregamos valor aos nossos clientes?’. Se a resposta for ‘não’, ainda há muito trabalho a fazer.

Muitas organizações estão, no entanto, presas no impasse sobre onde começar seus esforços de mudança rumo ao modelo digital. De acordo com pesquisa do Gartner, cerca de 57% das empresas ainda não encontram um ponto de partida para realizar a Transformação Digital de seus negócios. Essas e outras análises serão apresentadas durante o Gartner Symposium/ITxpo 2018, de 22 a 25 de outubro, em São Paulo.

O Gartner recomenda quatro possibilidades para expandir a jornada de transformação:

Número 1 – Conectado: Estar conectado geralmente não é um aspecto da transformação, mas uma iniciativa de otimização. As organizações buscam reduzir os tempos de entrega, melhorar a utilização de dispositivos ou aumentar a sua produtividade ao implementar tecnologias como Internet das Coisas (IoT) ou plataformas digitais dedicadas. A transformação começa quando organizações aproveitam o aspecto da conexão para lucrar mais por meio de novas maneiras, por exemplo, quando companhias usam dados gerados para criar novos serviços e fontes receita ou tornar dados mais disponíveis e transparentes em toda a cadeia de valor.

Número 2 – Autonomia: Como uma tecnologia autônoma, máquinas podem tornar humanos melhores e humanos podem, por sua vez, melhorar máquinas. “O agente virtual utilizado em Copenhagen para identificar ataques cardíacos é um perfeito exemplo de abordagem autônoma. É baseado em IA e usa análise de discurso em tempo real e Aprendizado de Máquina (ML) avançado para reconhecer chamadas de emergência. Para criar um novo modelo de negócios, fornecedores de tecnologia deveriam disponibilizar dados com patente autônoma para serviços de emergência terem condições de alocarem recursos com mais eficiência no futuro”, diz Moyer.

Número 3 – Empoderamento: O método de empoderamento permite consumidores e o ecossistema de parceiros de negócios criarem valor para eles e suas organizações ao mesmo tempo. Isso pode multiplicar o potencial para criação de valor. São exemplos dispositivos de IoT no setor de saúde, os quais permitem a realização de exames básicos em casa, sem a presença de um médico. “Com um kit de exames, a organização cria uma nova fonte de receita ao mesmo tempo que empodera seus parceiros e os consumidores”, explica Moyer. “Usuários de serviços de saúde não precisam cobrir despesas com médicos para a realização de exames básicos, e pacientes não precisam ir até uma clínica e gastar tempo com o trajeto e com a espera pelo atendimento”.

Número 4 – Programável: Um ponto de partida programável é focado na mudança dos modelos de negócios e de operação. O objetivo é permitir que outras partes criem e entreguem valor nas organizações. Isso pode ser alcançado via Interface de Programação de Aplicações (APIs), tecnologias open source (código aberto) ou por Blockchain. “No setor bancário, por exemplo, algumas instituições tornaram seus serviços acessíveis para todos por meio de APIs. Isso pode permitir novos fluxos de receitas ao mudar para API e vender novos produtos, como identidade digital”, afirma Moyer.

Análises adicionais sobre temas que conduzem a Transformação Digital dos negócios serão apresentadas durante o Gartner Symposium/ITxpo 2018. Trata-se do mais importante encontro de CIOs e executivos seniores de TI do mundo. Líderes da área confiam em eventos como esses para obter insights sobre como suas organizações podem usar TI para superar desafios de negócios e melhorar a eficiência operacional de suas empresas.

Sobre o Gartner
Gartner, Inc. é a principal empresa de pesquisa e consultoria do mundo e membro do S&P 500. Fornecemos aos líderes de negócios insights, conselhos e ferramentas indispensáveis para alcançarem suas prioridades em missões críticas e para desenvolverem organizações de sucesso no futuro. Nossa combinação incomparável de pesquisas lideradas por especialistas e orientadas por profissionais e baseadas em dados aconselha os clientes para a tomada de decisões corretas sobre os assuntos que mais importam. Somos confiáveis como um recurso de apoio e parceiro crítico para mais de 15.000 empresas, em mais de 100 países – por meio de todas as principais funções e para todos os tipos de empresa. Para saber mais como ajudamos executivos com poder de decisão a impulsionarem o futuro dos negócios, visite: www.gartner.com.