You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Premiada como uma das 10 melhores professoras do mundo, educadora inspira colegas brasileiros

Débora Garofalo fala sobre sua trajetória e projetos ao longo do podcast PodAprender

Débora Garofalo foi a primeira mulher brasileira e primeira sul-americana a ser finalista no Global Teacher Prize, que tem como objetivo destacar a importância dos professores e como os seus esforços devem ser reconhecidos em todo o mundo. A premiação, considerada o Nobel da Educação, foi recebida por ela em 2019 em reconhecimento ao projeto Robótica com Sucata, que desenvolveu com alunos da educação pública de São Paulo.

Débora formou-se em Letras e Pedagogia, é mestranda em Educação e teve uma trajetória de ida e volta às salas de aula, com outras experiências na carreira, em indústria e bancos antes de retornar à docência. “Eu voltei para a sala de aula justamente para a educação pública por acreditar que ali é onde o professor realmente faz a diferença. Mas ter a oportunidade de ter presenciado esses outros olhares me fez ser um pouco da professora que me tornei”, conta.

Foi em 2015 que ela criou o trabalho de Robótica com Sucata em uma escola municipal da Zona Sul da cidade de São Paulo. “70% dos meus estudantes me relatavam que o lixo era um problema sério na vida deles. Naquele momento, eu podia ficar indiferente ou entender que era com o lixo que eu tinha que trabalhar. Eu precisava potencializar o lixo como um objeto de conhecimento”, relata sobre a realidade do meio educativo quando criou o projeto que leva o conhecimento de robótica com a utilização de sucatas retiradas das ruas da cidade.

“O Robótica com Sucata me fez ser e ter esse olhar diferenciado para o trabalho dentro da sala de aula. Entender que os estudantes são o centro do processo de aprendizagem e o professor é só um parceiro, aquele que vai apoiar essas ações”, explica Débora. “Eu tinha que mostrar pra eles o poder que eles tinham de realmente transformar a comunidade deles”.

Em uma carta de agradecimento recebida por Débora, escrita por seus alunos, na entrega do prêmio, uma frase se destacou: “professora, obrigada por entender que na favela moram pessoas”. “Essa frase pra mim é muito forte porque a gente faz todo um trabalho mas nunca entende o que de fato se passa na cabeça de um estudante e como todo esse momento de aprendizado vai realmente impactá-los”, expõe Débora.

Para os colegas de profissão, a professora indica que a cobrança deve estar presente nos dois lados. “Hoje, estar nessa posição de ser reconhecida por esse trabalho me traz também uma grande responsabilidade com meus próprios colegas, de mostrar que é necessário que nós tenhamos altas expectativas para os nossos estudantes, mas é essencial nós termos altas expectativas para nós mesmos, os professores”, aconselha.

“O professor é essencial. É necessário que ele entenda que ele precisa dar o primeiro passo. O segundo passo é que ele compreenda que realmente precisa envolver o território educativo. Hoje, eu não acredito mais numa educação baseada somente na sala de aula com quatro paredes. A educação perdeu um pouco dessa essência e precisa envolver o território educativo ”, afirma Débora, indicando ainda que é preciso entender que a inovação e a tecnologia precisa estar contextualizadas para os alunos. “E, mais do que isso, eles precisam entender que a educação não está distante da realidade deles. É preciso envolver esses estudantes em soluções de problemas, trazer um pouco dos aspectos reais para realmente transformar essa realidade em objeto de conhecimento ”.

Débora conta mais sobre sua trajetória até o prêmio no oitavo episódio do podcast PodAprender, com o tema “ SuperProf - conheça Débora Garofalo, uma das dez melhores professoras do mundo “. Com produção da Central Press Brasil, o PodAprender é uma realização da Editora Aprende Brasil, que atende 266 mil alunos em mais de 200 municípios brasileiros. Ao longo de 24 episódios quinzenais, são relacionados à Educação com fonte com vasta experiência na área. O programa pode ser ouvido no site http://sistemaaprendebrasil.com.br/podaprender/ , nas plataformas Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e os nossos principais agregadores de podcasts disponíveis.