You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Programa ELAS alavanca negócios de ONGs e engaja alunas em torno de propósito social

Beleza na Periferia e Somos Todos Marias são as primeiras organizações a receberem o apoio da escola que já capacitou mais de 8 mil mulheres

A ELAS , startup focada no desenvolvimento pessoal e profissional de mulheres que desejam assumir posições de destaque nas empresas, em seus negócios e/ou na sociedade, promove o Programa ELAS, carro-chefe da escola em versão online e ao vivo. Com um total de 57 horas de conteúdo - divididos em três módulos, um por mês -, as alunas ainda contam com mentorias individuais com as co-fundadoras da Escola, Amanda Gomes e Carine Roos.

Durante os eventos presenciais, o fechamento do Programa ELAS era feito no modelo de apresentações de alto impacto das alunas deste treinamento para ONGs que fazem projetos sociais com meninas adolescentes em situação de vulnerabilidade. A ideia era que fossem trocados aprendizados e saberes de mulheres que vieram de diferentes realidades. Porém, em meio ao isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus, e com o auxílio do Instituto Think Twice , Amanda e Carine implementaram o ELAS Transformam. Duas ONGs foram escolhidas para colocarem em prática os aprendizados das mulheres que participam do Programa ELAS durante 6 meses. "Em prol de duas iniciativas que são lideradas por mulheres e que trabalham o empoderamento feminino de mulheres em situação de vulnerabilidade, decidimos implementar o projeto para apoiar as ONGs de maneira mais efetiva e também a oportunidade das alunas do Programa Elas colocarem em prática as habilidades de liderança das alunas aprendidas durante o treinamento", comenta Carine.

As mulheres que fazem o Programa ELAS trabalham em empresas de diversas áreas, que buscam a liderança em seus negócios e o aprimoramento profissional. Por isso, a ideia é mapear os desafios das ONGs e auxiliá-las. Como nem todas as participantes das ONGs possuem acesso à tecnologia, a ideia é trazê-las desde o início do treinamento.

As escolhidas foram Beleza na Periferia e Somos Todas Marias e o trabalho de conclusão do Programa é apoiar essas ONGs desenvolvendo um plano de ação para elas, colocando em prática os aprendizados de autoconfiança e desenvolvimento pessoal e profissional oferecidos ao longo do Programa ELAS.

A Somos Todos Marias auxilia mulheres da periferia que pretendem empreender e a Beleza na Periferia investe em ajudar jovens da periferia a fazerem escolhas profissionais relacionadas ao que realmente gostariam de fazer. As alunas do Programa auxiliarão as ONGs com planejamento financeiro, de comunicação e de marketing, além de auxiliarem em dúvidas como precificar o trabalho e fazer um negócio sustentável.

"O projeto traz esperança para um Coletivo de mulheres empreendedoras, arrimos de família (mulheres que sustentam a casa sozinhas), que se reinventaram durante a pandemia, com a produção de máscaras e geração de renda. Precisamos nos reinventar buscando novas oportunidades, o projeto vai nos ajudar nesse processo de reinvenção e organização do Coletivo", comenta Fabiana Peroni do Coletivo Marias.

"Participar do Programa ELAS é uma experiência transformadora não somente pelo Beleza na Periferia, mas também como pessoa. É um desafio muito grande você se conhecer ainda mais, saber das suas habilidades e fragilidades, potencializando tudo. Tenho refletido todos os dias com as minhas atitudes, é surreal e incrível. É o início de uma história maravilhosa para o projeto pelo direcionamento que tenho", comenta Mayara Moura do Beleza na Periferia.

Além disso, as 70 alunas são organizadas em grupos de 5 pessoas e colocam em prática os aprendizados do Programa. A ideia é auxiliar as ONGs por seis meses, passando por 2 turmas diferentes, partindo do pressuposto que resolver questões estruturais leva mais tempo. "Além de apresentar um propósito social, esse método auxilia a manter o engajamento das alunas por meio de projetos práticos", comenta Amanda Gomes, co-fundadora da Escola.