Quais são os critérios para recusas de novas apólices de seguros?

Renniê Paro | 2 min read

*Por Yago Almeida

Se você mora em uma grande cidade, já sabe que uma das primeiras providências a serem tomadas ao comprar um veículo é fazer um seguro automotivo. Isso porque, infelizmente, os números de incidentes envolvendo sinistros, ou seja, qualquer evento em que o bem segurado sofre um acidente ou prejuízo material, é crescente.

Segundo Marcio Coriolano, presidente da CNseg, apesar do Brasil ser a oitava economia do mundo, estamos apenas em 12º lugar no ranking de seguros e na 45º posição em arrecadação per capita em seguros. Outro ponto de atenção é que atualmente, apenas 30% da frota de  veículos nacional tem seguro. Ou seja, ao mesmo tempo que há uma perspectiva interessante para as seguradoras, que podem inovar e gerar novas soluções para atrair consumidores, há o lado do proprietário do veículo, que muitas vezes acha as apólices caras.

Outra característica que pode acontecer e que contribui para o não aumento no número de seguros automotivos, é que muitas vezes os pedidos não são aceitos pelas seguradoras mais tradicionais. Vamos entender quais podem ser os motivos para o não:

  • Nota ruim em vistoria: esse é um dos principais motivos para a negativa de uma seguradora. Por isso, é tão importante que antes de adquirir um novo veículo, o cliente faça uma verdadeira varredura em todos os documentos e itens do carro, evitando problemas futuros;
  • Muitos anos de uso ou fora de linha: o período crítico de um veículo gira em torno de 15 anos de circulação, pois com o passar do tempo as chances de problemas de mecânicas e técnicos aumentam proporcionalmente. Além disso, veículos que, por algum motivo determinado pela montadora, saem de linha, também têm chances de não serem aceitos, pois peças de reposição ficam ainda mais difíceis;
  • Sempre cheque o chassi: esse é um item muito importante na hora de comprar um carro zero ou usado, pois se o chassi foi remarcado, pode significar que é um veículo roubado ou adulterado. Isso gerará, além de problemas legais, uma negativa das seguradoras;

É claro que essas não são regras imutáveis e variam de seguradora para seguradora, mas vale sempre fazer um verdadeiro check up no carro antes de efetuar a compra. Levantar toda a documentação, histórico, chassi e outros itens pode evitar que você tenha dores de cabeça na hora de proteger seu bem. Para ajudar nessa missão, já existem no mercado algumas plataformas que em poucos cliques e segundos, já indicam as chances do seu veículo ser rejeitado por uma seguradora. Por isso, faça da tecnologia uma aliada e passe a correr menos riscos na hora de contratar um novo seguro. Pense nisso!

Share twitter/ facebook/ copy link