Quais são os critérios para recusas de novas apólices de seguros?

6 months ago

*Por Yago Almeida

Se você mora em uma grande cidade, já sabe que uma das primeiras providências a serem tomadas ao comprar um veículo é fazer um seguro automotivo. Isso porque, infelizmente, os números de incidentes envolvendo sinistros, ou seja, qualquer evento em que o bem segurado sofre um acidente ou prejuízo material, é crescente.

Segundo Marcio Coriolano, presidente da CNseg, apesar do Brasil ser a oitava economia do mundo, estamos apenas em 12º lugar no ranking de seguros e na 45º posição em arrecadação per capita em seguros. Outro ponto de atenção é que atualmente, apenas 30% da frota de  veículos nacional tem seguro. Ou seja, ao mesmo tempo que há uma perspectiva interessante para as seguradoras, que podem inovar e gerar novas soluções para atrair consumidores, há o lado do proprietário do veículo, que muitas vezes acha as apólices caras.

Outra característica que pode acontecer e que contribui para o não aumento no número de seguros automotivos, é que muitas vezes os pedidos não são aceitos pelas seguradoras mais tradicionais. Vamos entender quais podem ser os motivos para o não:

É claro que essas não são regras imutáveis e variam de seguradora para seguradora, mas vale sempre fazer um verdadeiro check up no carro antes de efetuar a compra. Levantar toda a documentação, histórico, chassi e outros itens pode evitar que você tenha dores de cabeça na hora de proteger seu bem. Para ajudar nessa missão, já existem no mercado algumas plataformas que em poucos cliques e segundos, já indicam as chances do seu veículo ser rejeitado por uma seguradora. Por isso, faça da tecnologia uma aliada e passe a correr menos riscos na hora de contratar um novo seguro. Pense nisso!

Renniê Paro

Published 6 months ago