You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.

Reaprendendo a aprender: como a comunicação e a sinalização impressa podem ajudar o retorno às aulas

Por Cristiane Borato, Supervisora de Marketing da OKI Data Brasil

Após um longo período, escolas e universidades estão se preparando para reabrir suas portas aos estudantes. Apesar da boa notícia, porém, a verdade é que qualquer plano de retomada está muito longe de representar algum tipo de volta à antiga normalidade. Ao contrário. Neste cenário complexo, as escolas terão um enorme desafio para garantirem que os alunos estarão seguros e que suas instalações seguirão todas as orientações relativas ao combate ao Covid-19.

O mundo escolar mudou e precisará ser ainda mais objetivo para lidar com as demandas desses novos tempos. Além de protocolos e planos contra a disseminação da doença provocada pelo coronavírus, no entanto, é importante que as empresas do setor de ensino invistam, também, em novas formas de comunicação, agregando mais clareza e destaque às iniciativas de suporte aos alunos.

É neste contexto, por exemplo, que as comunicações visuais certamente se tornarão ainda mais vitais para ajudar os funcionários das escolas a manter a operação diária de forma segura e responsável. A comunicação clara das orientações e medidas dentro e fora das instalações escolares ajudará a difundir o conhecimento sobre o assunto e a reduzir a tensão dos colaboradores que têm a tarefa de controlar o ambiente.

Esse é um ponto importante, pois a pandemia tem sido particularmente desestabilizadora para os estudantes. Depois de terem se habituado com as aulas on-line e com a quebra de suas rotinas, agora eles terão que se adaptar, também, a uma nova realidade quando voltarem às salas de aula – e isso pode ser difícil para muitos deles.

As medidas possíveis podem incluir restrição de mobilidade dentro dos prédios, redução das turmas, diminuição dos horários para facilitar o distanciamento social e até a proibição do compartilhamento de artigos de papelaria e equipamento. Sem falar na aplicação de novas regras para marcação de assentos nas salas de aulas, uso do banheiro e convivência na hora do intervalo, além da implementação de novos padrões de higiene, com a lavagem frequente das mãos, a utilização dos dispensadores de álcool gel e a obrigação do uso de máscaras faciais.

Parece muito? Mas ainda tem mais: os pais que levam e buscam os filhos também terão de receber instruções específicas para garantir os passos necessários para evitar a propagação do vírus, assim como os prestadores de serviços de transporte escolar certamente terão suas rotinas impactadas.

Com as diretrizes de segurança implementadas da chegada à saída, passando pelo uso dos auditórios, salas de aula, corredores, cantinas, salas comuns e em todas as áreas das instalações, os estabelecimentos de ensino precisarão ampliar seus esforços de sinalização e comunicação visuais, bem como de peças que possam reforçar o trabalho de conscientização de todos os envolvidos.

A sinalização em papel nos quadros de avisos e em diversos outros locais com adesivos será essencial para controlar o fluxo de estudantes nos edifícios. Os adesivos podem ajudar, ainda, a reforçar o distanciamento social nas salas de aula, assinalando os locais onde os alunos podem se sentar. Haverá também uma maior procura de folhas de exercícios e documentos para cada aluno, evitando a partilha de papel que pode promover a propagação de germes.

Um dos desafios para os gestores e professores, nesse horizonte, será a agilidade para desenvolver esses materiais de comunicação – e de conteúdo de aula – de forma mais abrangente e econômica. Para isso, a impressão in-house é uma oportunidade ímpar. Ela permitirá às escolas, universidades e outros estabelecimentos de ensino reduzir os custos com os fornecedores de impressão e reagir rapidamente às mudanças de diretrizes – algo fundamental, em tempos de mudanças constantes como o atual.

Hoje, a indústria está preparada para ofertar dispositivos capazes de atender as necessidades de impressão diárias e, ao mesmo tempo, produzir peças como banners com mais de um metro de comprimento e adesivos. Isso significa permitir que as escolas estejam sempre prontas para produzir impressões de qualidade profissional em cores vibrantes e de alto impacto sempre que precisarem, com muito mais economia.

Essa rapidez será vital para ajudar a proteger e garantir a segurança dos alunos, professores, colaboradores, pais e todos os envolvidos na comunidade escolar. É essa agilidade que permitirá que os estabelecimentos de ensino se preparem para a volta dos alunos com mais flexibilidade e capacidade de ajuste, entendendo as demandas do momento.

O objetivo, agora, deve ser minimizar as interrupções na área da educação, garantindo um retorno seguro e funcional para todos. Nesse contexto, sem dúvida, as escolas e universidades que podem imprimir suas sinalizações e comunicados de forma rápida e fácil, à medida das necessidades, estarão sempre um passo a frente da concorrência. Resta saber, apenas, quem deixará de lado o antigo normal para construir, de vez, o futuro e a inovação na educação.