A Beenoculus, startup curitibana de soluções em realidade virtual criada em 2015, construiu uma plataforma em nuvem para distribuição de vídeos em 360 graus, que permite que empresas disponibilizem conteúdo em realidade virtual por meio de um player customizado e com preço acessível. Considerada uma das maiores inovações na CES 2015, já recebeu importantes prêmios como o PME Estadão – Tecnologia Criativa, Promessas Endeavor, Braskem Labs e 100 Open Startups. Conversamos com José Motta Filho, Head of EdTech, para entender um pouco mais dessa solução.

Polinize – Como tem sido a atuação da Beenoculus na área educacional?

José Motta – A Realidade Virtual, Aumentada e Mista está, aos poucos, desembarcando nas instituições de ensino e chegando às salas de aula para os alunos de todo o mundo. Certamente o binômio Inteligência Artificial + Realidade Virtual, são as duas grandes ondas, as duas grandes tendências da Educação para o Século XXI. Temos estreitado bastante os laços com várias Universidades, Faculdades e Colégios no que se refere ao desenvolvimento de conteúdos específicos num formato de co-criação, e também no fornecimento de hardwares, para que as instituições façam uso de conteúdos livres encontrados via web. Por ser uma Tecnologia Educacional bastante disruptiva, a Realidade Virtual tem causado muito interesse em professores e gestores educacionais das instituições que estão buscando novos caminhos para as suas práticas pedagógicas.

Polinize – Quais são as metas de vocês para esse setor?
José Motta – Transformar o mundo por meio de uma educação imersiva, embasada em Metodologias Ativas de Ensino, de maneira que cada aluno “usuário” possa, efetivamente, aprender de forma significativa, engajada às demandas digitais e mobile, por meio de uma experiência imersiva de aprendizagem em primeira pessoa. Queremos emocionar as pessoas, fazê-las acreditar que aprender pode ser divertido, transformador e altamente necessário para o desenvolvimento de competências e habilidades das profissões e da sociedade do futuro.

Polinize – Atuar na área educacional sempre esteve entre os objetivos da Beenoculus?
José Motta – Usar os elementos VR, AR e MR para fins de aprendizagem, tanto na educação formal quanto na corporativa, sempre foi a linha mestra dos ideais da Beenoculus.

Polinize – Na sua opinião, quais vantagens essa ferramenta pode trazer para o dia a dia do aluno e do professor?
José Motta – Os benefícios para ambos são incontáveis. Porém, quero destacar alguns:

  1. é possível ter o mundo ao alcance das mãos e dos olhos. As tradicionais visitas de campo tornam-se incríveis e ilimitadas.

  2. é uma extraordinária alternativa em relação a alguns conteúdos dos livros e apostilas, o que torna esse meio bem mais atraente, principalmente aos nativos digitais.

  3. capacidade de introduzir o conhecimento prático na sala de aula, sem colocar alunos e terceiros em risco, adiciona um valor inestimável à experiência educacional.

  4. essa nova tecnologia ajuda a resolver alguns problemas sociais encontrados nas salas de aula. Alunos mais tímidos podem ser estimulados a saírem da passividade por meio dos conteúdos e experiências que, naturalmente, estimulam a interação entre os colegas e dos alunos com o professor.

Polinize – Essa ferramenta é recomendada para quais áreas de ensino? Em quais aplicações os resultados são melhores?
José Motta – É altamente recomendada para todas as áreas do conhecimento. Em alguns aplicativos e experiências da Beenoculus, por exemplo, temos conteúdos de Anatomia, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Educação para o Trânsito, Física, História, Geografia, Sociedade e Cultura Geral. Os resultados obtidos por meio dessa tecnologia dependem exclusivamente da condução e do “desenho de aula” e interações planejadas pelo professor. O bom aproveitamento dessa ferramenta depende da criatividade e capacidade de exploração de cada professor. Mas, posso afirmar que os resultados são incríveis. Alunos altamente engajados e com brilho nos olhos!

Polinize – O mercado brasileiro está aberto para esse tipo de tecnologia?
José Motta – Está totalmente aberto e atraindo interesse de muitos investidores. Costumo dizer que quem chegar primeiro e investir, de forma agressiva na produção de conteúdos educacionais com qualidade, beberá água limpa! É um produto, que ao mesmo tempo fornece um serviço, altamente escalável e exponencial.

Polinize – Qual é o principal desafio na introdução desse serviço no mercado educacional brasileiro?
José Motta – A produção dos conteúdos, como mencionado acima, e o investimento em hardware de ponta, que proporcionem uma experiência incomparável para o usuário. Como por exemplo, o equipamento All-in-One da Beenoculus.

Polinize – Quais são os principais clientes na área educacional? E quais soluções eles buscam?
José Motta – Todos os segmentos educacionais nos procuram. Da educação infantil à pós-graduação. Buscam desde um vídeo institucional 360° para apresentarem a sua escola de forma surpreendente, até uma aula ricamente detalhada de anatomia humana para aulas de medicina e cursos afins. Posso afirmar que idealizamos “um negócio” que auxiliasse a ensinar, formar e informar e, quando nos demos conta, nós é que estávamos aprendendo. E muito!