Startup cria plataforma de treinamentos com foco em millenials

by Maria Emília Farto | 3 min read

Um levantamento da consultoria PricewaterhouseCoopers (Pwc) estima que até 2.020 mais da metade da força de trabalho será composta por millenials, uma geração que entre outras peculiaridades, apresenta características específicas na forma de aprender e reter conhecimento. E com um detalhe: usando sempre um smartphone.

Nesse cenário, segmentos em expansão e com alta demanda por treinamentos como o das franquias - que de acordo com a Associação Brasileira de Franquias, ABF, deve avançar 1% no número de redes e subir entre 8% e 10% o faturamento do setor, ainda em 2019, passam a enfrentar novos desafios para alcançar esses objetivos, com alto nível de qualificação de mão de obra.

Para atender a essa nova necessidade, especialmente para as franquias de varejo, chega ao mercado a startup Talent Camp uma plataforma de microlearning iOS e Android projetada para treinamento, capacitação e incentivo de times de vendas, atendimento e colaboradores de todas as áreas.

"É uma startup que oferece um meio digital novo e intuitivo, focada, com uma abordagem atual e lúdica capaz de garantir alto índice de aproveitamento do conhecimento e ótimos resultados para o negócio", explica Marcos Rasta, CEO da empresa.

Ação e aventura - Baseado no conceito de microlearning, os apps são instalados pelos colaboradores em seus próprios smartphones e podem ser customizados como parte de campanhas de incentivo ou para treinamentos regulares.

A Talent Camp utiliza uma estratégia de gamification, com conteúdos disponibilizados em diferentes formatos e mídias (textos, vídeos, podcasts, quizes etc), o que gera interesse e torna o treinamento dinâmico, envolvente e prazeroso.

Projeto piloto e casos de sucesso - A Talent Camp é resultado de dois anos de projeto da BASE Digital, empresa especializada em inovação e desenvolvimento de projetos e produtos digitais. A startup chega ao mercado depois de passar por um piloto e colecionar casos de sucesso. Atualmente sua evolução está sendo desenvolvida em Toronto, no Canadá, país considerado a meca mundial da inteligência artificial e um dos mais importantes do mundo em inovação tecnológica.

O projeto piloto surgiu em em 2016 para gerar engajamento em uma campanha de vendas para funcionários de três lojas de uma rede varejista, no Rio Grande do Sul. Consistiu em "desafios do conhecimento" sobre uma linha específica de produtos para os times dos PDVs. Em 2 meses as lojas participantes registraram 15% de aumento das vendas dos produtos envolvidos.

Pouco tempo depois, a subsidiária de uma grande fabricante de bebidas escolheu o Talent Camp como plataforma de desenvolvimento pessoal do seu time externo de representantes  de  marca, superando as expectativas iniciais de taxas de engajamento e participação nos módulos de capacitação.

Caso parecido se repetiu com uma fabricante global do segmento automotivo que criou dinâmicas de conteúdo para engajar os times de Venda e Oficina, em desafios e fórum de discussão para alinhar conhecimentos e discurso de uma linha específica de veículos.

"Com o conceito validado em dois grandes clientes, partimos então para  testar o engajamento por meio do microlearning em grandes eventos", comenta Rasta. O Talent Camp foi usado  no  Camporee Sul 2019, atividade escoteira que reuniu mais de 5.000 jovens. A versão custom doTalent Camp desafiava os escoteiros a responderem questionários (quiz) e participarem de micro capacitações com o objetivo de conquistar e compartilhar medalhas (badges).

Com tempo médio diário de permanência de 8 minutos no app, em apenas cinco dias de evento, foram mais de 350 mil interações, com 30 mil compartilhamentos em Twitter e Facebook, por meio de conquistas de conhecimentos adquiridos, como parte das atividades propostas no evento.

Mercado de US$ 32 bi - De acordo o site eSchool News, o mercado global de mobile learning, deve  atingir  32 bilhões de dólares em 2020, sendo alavancado pelo o aumento do uso de smartphones e tablets. No Brasil, a 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, da  Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP),  indica que existem 230 milhões de celulares ativos . Em todo o país a pesquisa mostra que atualmente existem dois dispositivos digitais por habitante, considerando smartphones computadores, notebooks e tablets.

Share twitter/ facebook/ copy link