You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
Startup leva inteligência artificial a shoppings e redes do varejo

Startup leva inteligência artificial a shoppings e redes do varejo

Sediada no Vale da Eletrônica, 4intelligence se expande durante a pandemia com nova ferramenta criada em conjunto com a FX Retail Analytics

A 4intelligence, empresa sediada em Santa Rita do Sapucaí, cidade conhecida como Vale da Eletrônica, se uniu à FX Retail Analytics para criar um ‘Analytics’ para lojas físicas. Ambas as startups pertencem ao grupo HiPartners.

O sistema traz um conjunto de câmera e beacon, aparelho que identifica dispositivos eletrônicos, como smartphones, por meio do Bluetooth. As câmeras permitem monitorar o fluxo e a movimentação de clientes, ajudando a identificar horários de pico e a medir a performance de um ponto, por exemplo. Já os beacons captam, de forma anônima, dados como gênero, faixa etária e perfis de buscas na internet. O volume de informações ajuda a identificar os principais perfis de visitantes e pode resultar até no lançamento de novos produtos.

O serviço também oferece insights preditivos com o uso de inteligência artificial (IA) para o sistema de monitoramento. Seu uso permite reunir e analisar dados suficientes para dizer, por exemplo, quando uma loja de departamento precisará ou não abrir mais caixas para evitar a formação de filas. Entre os critérios levados em conta estão dados de cupom de venda, como a quantidade de itens vendidos e o horário, calendário de pagamentos de categorias, clima e sazonalidade.

A solução foi criada para monitorar o fluxo de clientes em redes de lojas e shopping centers, mapear os perfis dos consumidores e ajudar na tomada de decisões estratégicas. Porém, a pandemia ressignificou o papel dessa tecnologia. Ela agora ajuda a evitar aglomerações e a recuperar a confiança no varejo físico.

No momento, o varejo passou a poder usar os dispositivos para medir e controlar o número de pessoas no espaço. Mas 80% deles precisou fechar as portas devido às medidas de isolamento. Como resultado, recorreram a isenções e descontos nas mensalidades, que custam a partir de R$ 99 por implementação.

A expectativa de expandir essa frente, junto ao aumento da demanda em função da reabertura do varejo, foi o que permitiu que a empresa mantivesse sua projeção de faturamento pré-pandemia: de R$ 2,5 milhões em 2019 para R$ 4,2 milhões em 2020. O sistema, aliás, vem sendo amplamente adotado por grandes redes do varejo e principais shopping centers do país.

Top stories in your inbox!