Tornando a sustentabilidade mais sustentável

4 months ago

Por: Carlos Silva

 

Por Marco Beczkowski

A sustentabilidade como objetivo corporativo tem aumentado sua importância, ano após ano. Recentemente, a Manhattan Associates lançou um novo episódio de podcast sobre sustentabilidade no supply chain e, mais especificamente, no transporte. Abordamos questões como equilibrar a sustentabilidade, atendendo às demandas dos clientes, a responsabilidade das empresas pelos esforços ambientais e a adequação natural dos sistemas de gerenciamento de transporte (Transportation Management Systems - TMS) à sustentabilidade. Se você quiser ouvir o podcast inteiro, clique aqui.

SUSTENTABILIDADE APENAS NO NOME?

No episódio, Steve Banker, vice-presidente do ARC Advisory Group, Supply Chain Management, relata que 85% das empresas do S&P 500, publicam algum tipo de relatório de sustentabilidade corporativa. Uma das principais razões para isso é que os consumidores e o público em geral estão se concentrando mais em iniciativas ecológicas e preferem fazer negócios com empresas que estão se esforçando para se tornar mais sustentáveis.

Talvez da mesma importância, mas menos divulgados, sejam os benefícios da adoção de práticas sustentáveis para os funcionários. De acordo com um artigo recente da Forbes, pesquisas mostram que os trabalhadores de empresas que adotam medidas de sustentabilidade são 16% mais produtivos. Um artigo da revista The CEO reforça esse argumento, afirmando que os esforços de sustentabilidade dão aos funcionários uma sensação maior de um propósito, o que leva ao aumento de motivação e retenção.

No entanto, uma questão importante na medição do progresso na sustentabilidade corporativa é o que Banker chama de "greenwashing”, ou seja, empresas que se concentram em áreas positivas e ignoram aquelas que precisam de melhorias.  Por exemplo, um fabricante de automóveis está ansioso para falar sobre os veículos elétricos que está produzindo, mas não sobre a pegada de carbono necessária para produzi-los. Há uma tensão semelhante no lado do consumidor. Relata-se que indivíduos mais jovens e conhecedores de tecnologia estão muito preocupados com questões ambientais. Eles são, também, os mesmos compradores que estão impulsionando a revolução do e-commerce, com demandas por métodos de atendimento não sustentáveis, como entrega no dia seguinte e envio para casa.

VOLTANDO-SE PARA A TECNOLOGIA

No e-commerce, por conta de sua própria natureza, há falta de sustentabilidade. Durante décadas, as empresas carregaram caminhões com paletes de produtos e os entregaram às lojas. Agora, elas estão enviando itens específicos, às vezes um de cada vez, para clientes em uma área ampla. Muitas dessas entregas exigem viagens aéreas, que são o meio de transporte menos ecológico. Para poder acomodar mudanças nas demandas dos clientes, as empresas devem ser flexíveis. Mas como combinar essas duas demandas - flexibilidade e sustentabilidade?

Na Momentum 2019, a conferência anual de clientes da Manhattan, o CEO Eddie Capel teve uma ideia inovadora. Ele sugeriu que os varejistas ofereçam aos seus clientes uma escolha entre uma opção de entrega normal e uma que pode levar mais tempo, mas é mais sustentável. Capel estava confiante de que, em muitos casos, os consumidores estariam dispostos a esperar mais alguns dias se soubessem que isso estava ajudando o meio ambiente.

Banker concorda. "Dou muito crédito a Eddie Capel por falar sobre isso", disse ele, "e pensei que era o gatilho de uma ideia".

Banker também acredita que o software de supply chain, e especificamente, o sistema de gerenciamento de transporte (Transportation Management Systems - TMS), suporta a  sustentabilidade. As principais funções dessas tecnologias são projetadas para fazer o máximo possível com menos recursos. Todos os benefícios específicos que o TMS oferece - menos quilômetros percorridos, menos caminhões na estrada, roteamento mais eficiente, cubagem aprimorada - ajudam no esforço de sustentabilidade. Melhor ainda, as organizações podem colher os benefícios e também obter um melhor retorno sobre o investimento (ROI). É realmente um cenário com vantagem para todos.

Como Banker declarou: “Uma empresa mediana aplica o sistema de gerenciamento de transporte (Transportation Management Systems - TMS) e reduz seus gastos com frete em 8%, mantendo ou até mesmo melhorando seus níveis de serviço. Então, essa é uma área em que a sustentabilidade vem de graça. Sinceramente, não sei por que mais empresas não estão buscando isso”.

A CHAVE É A COLABORAÇÃO

Como começar? Banker afirma que uma prática muito recomendada é garantir que os profissionais de supply chain e de sourcing trabalhem, de maneira próxima à equipe de sustentabilidade. Frequentemente, esses grupos são isolados e seus objetivos podem entrar em desacordo. Com a colaboração, todos os envolvidos podem compartilhar um entendimento do que é necessário do lado comercial da equação, enquanto também então em busca de metas ambientais. É aí que mudanças reais podem ocorrer.

Finalmente, Banker acredita que trabalhar em conjunto, apostar na tecnologia e ter ambição  levarão a recompensas no que diz respeito à sustentabilidade. "Se você deseja progredir, defina grandes objetivos e os atinja com projetos de melhoria contínua, ano após ano”.

Para ouvir o podcast da Manhattan Associates sobre sustentabilidade, clique aqui.

Para mais informações sobre o sistema de gerenciamento de transporte (Transportation Management Systems - TMS) da Manhattan, visite: https://www.manh.com/products/transportation/overview.

Referências:

https://www.forbes.com/sites/serenitygibbons/2019/02/28/3-ways-to-make-sustainability-a-part-of-your-business/#2d4ea7ff6637

https://www.theceomagazine.com/business/management-leadership/the-value-of-sustainability-to-business/

Comments?