You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
Startup de mobilidade urbana cresce 80% em 2019 e planeja expansão em 2020

Startup de mobilidade urbana cresce 80% em 2019 e planeja expansão em 2020


Atualmente, existem no Brasil startups de mobilidade urbana, ou seja, iniciativas que visam melhorar a locomoção de veículos (alternativos ou não) e pedestres em grandes centros urbanos. Um dos destaques do setor é a E-moving, startup que atua por meio do aluguel de bikes elétricas.

Fundada em 2015, pelos empresários Gabriel Arcon e Kleber Piedade, a E-moving nasceu de um olhar atento às necessidades dos fundadores para deslocamentos em São Paulo. “Notamos que um deslocamento de 5 quilômetros dentro da cidade pode levar horas, então começamos a buscar opções fugirmos do trânsito. A bicicleta era o modelo ideal, mas tinha o problema de chegar suado no trabalho. Foi então que experimentamos a bicicleta elétrica e adoramos a experiência”, explica Piedade.

Desde então, a startup cresceu exponencialmente. Para 2019, a previsão é fechar o ano com o aluguel de 1.500 bikes e um faturamento de R$ 4 milhões. Em 2016, o valor total foi de R$ 343 mil. Em 2017, Edgard Corona, dono da BioRitmo, investiu R$400 mil na empresa. Além disso, em 2019, a empresa lançou sua primeira unidade em Sorocaba, no interior de São Paulo.

“2019 foi o melhor ano da história no mercado de bicicletas elétricas aqui no Brasil, porém acreditamos que ele vá crescer a passos ainda mais largos nesses próximos meses. Para se ter uma ideia, a fatia de e-bike sobre o mercado de bicicletas no Brasil representa 1%. Em mercados mais desenvolvidos, esse número já chega nos 15% a 20% (Europa e EUA). No México, onde existe uma economia semelhante a nossa, a proporção já chega na casa dos 8%. A China vende mais e-bike do que carro já faz mais de 7 anos. Ou seja, ainda há muito espaço para crescermos”, comenta Arcon

No início, o público da E-moving era composto por executivos que tinham o objetivo de usar a e-bike para ir de casa para o trabalho todos os dias. Após quase 5 anos de empresa, os empresários notam que há uma conquista também pelos estudantes, que muitas vezes usam a e-bike para fazer o trajeto casa-trabalho-estágio e também por pessoas com algum problema de saúde que querem ganhar qualidade de vida, economizar dinheiro e tempo no dia-a-dia.  

Para 2020 as expectativas são animadoras. “Nosso plano para 2020 é fazer com que cada vez mais pessoas tenham a experiência de trocar seus meios tradicionais de mobilidade para as e-bikes. Portanto vamos expandir nossas fronteiras, implementar ainda mais tecnologia em nossos produtos e continuar inovando em nossos serviços. Acreditamos que a E-Moving pode realmente impactar a vida de milhares e milhares de pessoas e com isso contribuir com a mobilidade urbana como um todo”, finaliza Arcon.

Top stories in your inbox!