Claro expande tecnologias de Internet das Coisas para o agronegócio na região Sul

2 months ago

Novas plataformas levarão aumento de produtividade e redução de custos para produtores da região

A Claro anuncia a expansão de tecnologias de Internet das Coisas (IoT) para a região Sul do Brasil. Apresentará soluções conectadas para o agronegócio na 42ª edição da Expointer. Entre as novas ofertas estão sistemas de conectividade e painéis de controle que usam Inteligência Artificial, sensores, Machine Learning e armazenamento em Nuvem (Cloud). As novidades da empresa no setor, que está ampliando sua rede na região, também serão destaque em painel com participação de Eduardo Polidoro, Diretor de Negócios de IoT da Claro, durante o evento que ocorre de 24 de agosto a 1º de setembro, em Esteio (RS).

“A Claro está à frente do mercado nas ofertas de tecnologias para o agronegócio, segmento responsável por mais de 20% do PIB brasileiro. Vamos mostrar durante a Expointer como as nossas soluções são capazes de gerar os melhores resultados aos produtores da região”, afirma Polidoro, lembrando que a empresa irá ampliar a cobertura no Rio Grande do Sul com novas redes CAT-M e NB-IoT, ideais para soluções de IoT e para o agronegócio.

Desenvolvidas pela Embratel, marca da Claro para o segmento corporativo, as novas plataformas, batizadas como Agricultura Digital, Silos Conectados e Floresta Conectada, levam mais produtividade aos agricultores, possibilitando a redução de custos operacionais com informações valiosas e essenciais para a tomada de decisão nos negócios.

A plataforma Agricultura Digital é uma das novidades para a região. Hospedada em Data Center da Embratel, a solução realiza a coleta dados relevantes como umidade do solo e do ar, temperatura e outras informações meteorológicas, utilizando sensores instalados no campo. As informações são tratadas com Analytics para ajudar no controle das plantações e no diagnóstico de medidas corretas sobre irrigação e pulverização, por exemplo. Ao utilizar o Machine Learning, a solução sugere de forma automática as correções e melhorias para os cultivos. A tecnologia propicia o aumento da produtividade e a redução de custos em plantações extensas, como soja, milho e café.

A Plataforma de Silos Conectados possibilita acompanhar, em tempo real, qual o volume de grãos estocado em cada silo. Também hospedada em Nuvem, a oferta automatiza a medição de armazenamento de grãos, atividade que ainda é manual na maior parte do Brasil. A nova plataforma torna mais seguro o ambiente de medição, pois impede que colaboradores sejam colocados em risco ao subirem dezenas de metros para analisar o armazenamento.

O segmento de silvicultura da região, focado no cultivo de florestas por meio do manejo agrícola para produzir madeiras e outros derivados, tem agora acesso à nova solução Floresta Conectada, que realiza de forma automatizada a gestão de ativos e o acompanhamento em tempo real da floresta, por meio de algoritmos. Com a solução é possível, por exemplo, controlar o uso de combustível de máquinas usadas na colheita. A tecnologia possibilita a redução de custos ao analisar dados coletados nas máquinas e plantações, também armazenados em Nuvem.

A conectividade é fundamental para o desenvolvimento do agronegócio digital. A Claro investe para levar infraestrutura a regiões mais remotas, como os campos de cultivo e florestas, por meio de tecnologias como instalações de estação rádio base e soluções de banda larga via satélite. As novas plataformas reforçam os investimentos no segmento de Internet das Coisas, que envolvem também novas redes CAT-M e NB-IoT, ideais para o uso no campo, pois permitem a criação de dispositivos de baixo consumo de energia e latência.

Agenda de Painéis:

Quinta-feira, 29/08, às 09h00 – Painel: “IoT no agronegócio” – Eduardo Polidoro, Diretor de Negócios de IoT da Claro

Carol Tiago

Published 2 months ago