You've successfully subscribed to Polinize
Great! Next, complete checkout for full access to Polinize
Welcome back! You've successfully signed in
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.
Divórcio: consequências para as mulheres que fazem tripla jornada

Divórcio: consequências para as mulheres que fazem tripla jornada

Não há momento certo para se falar sobre o feminino, mas a conscientização deve acontecer de maneira integral. A tripla jornada que geralmente é feita pelas mulheres não é novidade para ninguém, trabalhar, ser mãe e ainda dona de casa é uma realidade no universo feminino.

Mesmo quando há um companheiro, é corriqueiro que a maior parte da responsabilidade em tarefas domésticas fique por conta da mulher. Existem muitas discussões sobre o assunto e já há progresso por parte dos homens, mas as consequências continuam extensas.

“É muito mais fácil se dedicar ao trabalho quando não existem outras preocupações, que é o caso da maioria dos homens. Muitas mulheres deixam de ascender no mercado pela obrigação com outras questões”, afirma Dra. Sabrina Rui, advogada em direito tributário.

Infelizmente, isso significa que é mais difícil se destacar, ter empregos e salários melhores, e muitas vezes, até ser contratada, como é o caso das mulheres que tem filhos, visto que, socialmente, cuidar dos filhos é um papel apenas feminino.

“O problema é quando o divórcio acontece. Geralmente, a mulher fica com os filhos ao se separar do parceiro, e, tendo a condição financeira da família mais apoiada nele, por seu profissional estar sempre em segundo plano, sua situação fica ainda mais comprometida”, conta.

São comuns os casos onde o pai e ex-marido paga pensão apenas para os filhos e não para a mãe, afinal, ela já trabalhava e poderia “se virar”, mas a verdade é que não é tão simples assim.

O padrão de vida, não só dela, mas dos filhos, deixa de existir, e com todo o tempo que a mulher passou já em tripla jornada, com menos oportunidades profissionais, se mostra injusto.

Entre tantos debates sobre a igualdade entre os sexos, a mulher pedir também por pensão após o divórcio pode parecer condenável, mas é preciso olhar para todos os fatores que influenciam o quadro geral.

Serviço: Dra. Sabrina Marcolli Rui

Advogada em direito tributário e imobiliário

www.sr.adv.br

SR Advogados Associados

@sradvogadosassociados

@sradvassociados

(41) 3077-6474

Rua Riachuelo, nº 102 - 20º andar - sala 202, centro – Curitiba.

Top stories in your inbox!